Cidadão do Povo
Mauricio Dias

Começou à meia-noite desta sexta-feira (24) a oitava edição da Black Friday no Brasil, data de promoções coletivas já consolidada na internet e que ganha cada vez mais adesão no varejo físico brasileiro. Os organizadores do evento e especialistas em varejo esperam mais um recorde de vendas e alguns arriscam até um faturamento superior ao do Natal, com consumidores aproveitando para antecipar as compras.

Mas eles ponderam que, apesar de uma ligeira melhora da confiança e do cenário macroeconômico em relação à edição de 2016, ainda não dá para falar em uma "Black Friday da retomada", e muitas empresas devem aproveitar a data para tentar desovar produtos encalhados. A data de promoções coletivas já é a segunda mais importante no calendário das lojas online, atrás apenas do Natal, mas ainda perde para o Dia das Mães no varejo físico.



Origem do "Black Friday" ou "Sexta-feira Negra"

Já sabemos que o “Black Friday” ou “Sexta-feira Negra” é uma tradição americana, que consiste numa grande baixa dos preços nas principais lojas, durante a última sexta-feira do mês de Novembro, coincidindo com a inauguração das compras de Natal. Mas qual é a origem desta tradição?

O primeiro uso do termo Black Friday deu-se, não para se referir às compras de Natal, mas para classificar uma crise económica: na sexta-feira 24 de Setembro de 1869, dois reputados bolsistas de Wall Street, Jay Gould e Jim Fisk, depois de um intenso trabalho para conseguirem grandes lucros, fracassaram no seu intento e o mercado entrou em bancarrota. Devido a isto, nomeou-se esse dia como “Black Friday”. Fonte: *Informações/G1 e Canal História - Fotos: Reprodução/bostonmais e anacuder

Cafe beira rio
Abreu