Cidadão do Povo
Mauricio Dias

Carlos Arthur Nuzman guardava 16 barras de ouro, de um quilo cada, na Suíça e somente declarou para a Receita Federal, quando virou alvo das investigações do Ministério Público Federal do Rio (MPF-RJ). A quantidade de ouro seria suficiente para a produção de 2600 medalhas de ouro, que garantiria a confecção até os Jogos Olímpicos de 2028, em Los Angeles.

“Enquanto os medalhistas olímpicos sonhavam com as medalhas de ouro, os dirigentes guardavam o ouro na Suíça”, criticou, a procuradora da República Fabiana Schneider, nesta quinta, no Rio, em entrevista coletiva na qual os procuradores falaram sobre os indícios de lavagem de dinheiro.

Nuzman é membro honorário do Comitê Olímpico Internacional (COI), que determina o peso e a quantidade de ouro necessária em uma medalha. As do Rio-2016 pesavam 500 gramas e tinha somente 1,34% da pedra preciosa em sua composição, de acordo com a Casa da Moeda. Elas eram na verdade feitas principalmente de prata (92,5%), mas também levavam mais de 6% de cobre.

Para os Jogos Olímpicos do Rio foram encomendadas 2.488 medalhas, sendo 812 de ouro. Ou seja: para este evento foram consumidos aproximadamente 4,872 kg do material. Ainda que nos Jogos de Tóquio já esteja programado um aumento no número de medalhas distribuídas, com a inclusão de cinco modalidades novas, além de diversas novas provas, ainda assim o número de medalhas não deve passar de 850. Yahoo Notícias - Foto: Ilustrativa

Abreu
Cafe beira rio