Cidadão do Povo
Mauricio Dias

Karla Silva de Sá Lopes saiu de casa para passear e não foi mais vista pelos familiares

A policial civil Karla Silva de Sá Lopes, de 28 anos, que desapareceu na quarta-feira, em Itapema, na região litorânea de Santa Catarina, foi encontrada morta na noite desta quinta-feira. Segundo informações do site Diário Catarinense, o corpo da vítima teria sido encontrado em uma praia de Balneário Camboriú, também no litoral do Estado. Ainda não há informações sobre as causas da morte.

De acordo com o periódico, as primeiras informações dão conta de que o marido da vítima, que é policial militar e foi quem notificou o sumiço de Karla, teria confessado o crime após ser procurado para prestar depoimento. Porém, Luiz Eduardo Cleto Righetto, advogado do PM, nega que o cliente tenha matado a esposa e de que tudo não passa apenas de boatos. Ainda de acordo com a defesa, o policial entregou a arma que usava "de forma voluntária" para passar por perícia. O advogado afirma que o marido da vítima está tranquilo e negou ter relação com a autoria do crime.

Segundo a Polícia Civil, Karla, de 28 anos, saiu de sua casa para caminhar por volta de 7h30 e não voltou mais. De acordo com a Polícia Civil, testemunhas relataram que viram a policial em um mercado da cidade horas antes de seu desaparecimento. Imagens das câmeras de monitoramento foram usadas para encontrar o paradeiro da vítima. O caso segue sendo investigado pela Divisão de Investigação Criminal de Balneário Camboriú. O Dia - Foto: Reprodução/Facebook

Com o objetivo de cumprir sete mandados prisão e 21 de busca e apreensão, foi deflagrada na manha desta quinta-feira (7), a operação 'Bahia Integrada', com a participação da 25a Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Coorpin), Companhia Independente de Policiamento Especializado (Cipe/Nordeste), Polícia Rodoviária Federal (PRF) e Ministério Público. Além das prisões, a ação apreendeu R$ 1,8 milhão com os acusados, entre cheques, notas promissórias e cédulas, quatro carros e uma moto.



De acordo com o delegado Paulo Jazon, da 25a Coorpin, a investigação durou cerca de quatro meses, e “os presos são membros de uma facção criminosa que atua na cidade, e que tem ramificações em diversos municípios do estado. Além de assaltos e tráfico de drogas, o grupo ainda é acusada de diversos homicídios de membros de facções rivais”, disse Jazon. Entre os presos na operação está o empresário Cícero de Santana, conhecido como 'Júnior Capeta'. Ele é empresário da banda Unha Pintada, que já se apresentou em cidades da Região Metropolitana de Salvador.



No cumprimento dos mandados de prisão, a operação conjunta também prendeu em flagrante José Marcos, o Marquinho de Pombalzinho, Adeildo Alves, o Morcegão, Alexssandro Santos, o Sandro do Cego, Marcelo Rocha, Antônio Carvalho, Tiago Conceição e Ednaldo Gama, o Naldinho. “Vamos continuar com esse trabalho integrado com as outras polícias, combatendo o tráfico de drogas e tirando os homicidas de circulação”, Afirmou o major Welligton Morais, comandante da Cipe/Nordeste. Fotos: Divulgação/SSP-BA

O Ministério Público da Bahia (MP-BA) ingressou, nesta quinta-feira, 7, com um recurso pedindo ao Tribunal de Justiça (TJ-BA) a anulação do júri popular que absolveu, na noite da última quarta, 6, a médica Kátia Vargas Leal Pereira, de 49 anos.

Ela foi acusada do duplo homicídio que vitimou os irmãos Emanuel e Emanuelle Gomes Dias, de 21 e 23 anos, em 11 de outubro de 2013, na avenida Oceânica, no bairro de Ondina, em Salvador. A apelação foi pleiteada um dia depois de o Conselho de Sentença considerar, por 4 votos a 3, que a médica é inocente.

Segundo o MP-BA, o promotor de Justiça Luciano Assis considerou que “houve nulidade absoluta em razão de violação de preceitos legais, e portanto, manifesto prejuízo” do julgamento. Ele afirma que a decisão dos jurados, pela negativa de autoria, foi “manifestamente contrária à prova dos autos”. Fonte: A Tarde - Foto: Divulgação/TJ-BA

Apesar de o júri popular ter absolvido, nesta quarta-feira (6), a médica Kátia Vargas, a decisão cabe recurso. A acusação - Ministério Público e assistência - tem cinco dias para entrar com recurso no Tribunal de Justiça (TJ-BA). Os recursos podem passar pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) e chegar ao Supremo Tribunal Federal (STF). A família dos irmãos Emanuel e Emanuelle Gomes Dias, 21 e 23 anos, mortos no acidente de trânsito em 11 de outubro de 2013, disse que vai recorrer da decisão.

A acusação também garantiu que não vai deixar o caso se encerrar com a primeira decisão. “Indignação, porque quatro pessoas sem compromisso com a Justiça sentaram ali predeterminadas a absolver uma pessoa que cometeu um crime bárbaro. Ou seja, elas votaram em uma coisa que nem a defesa pediu, elas negaram. Ou seja, é como se dissessem que aqueles dois jovens tivessem se matado, que ela não estava ali. Absurdo”, declarou o promotor Davi Gallo.  O promotor Luciano Assis considerou a decisão contrária às provas dos autos. Correio - Foto: Reprodução

Reforços nas áreas litorâneas, nos pontos turísticos, eventos e nas ações preventivas em Salvador e outros cinquenta municípios e localidades estão garantidos com o lançamento da Operação Verão, ocorrida nesta quarta-feira (6), na Praça Osório Villas Boas (antigo clube do Bahia), Boca do Rio. Mais de 24 mil plantões policiais serão disponibilizados pelo Governo do Estado no período, que tem início em dezembro e vai até o final do mês de fevereiro.

A estrutura disponível para a operação, que pagará mais de R$ 3,5 milhões em postos extras de trabalho, foi apresentada pelo secretário da Segurança Pública em exercício, Ary Pereira de Oliveira. “Nosso policiamento ordinário permanece inalterado. Com a Operação Verão, o Governo do Estado disponibiliza, por meio de escalas extras, recursos para que nós possamos atuar de forma ainda mais intensa nas localidades onde há aumento do fluxo de pessoas”, explicou durante a apresentação da operação verão, que tem a participação das polícias Militar, Civil, e Técnica, além do Corpo de Bombeiros.

Cerca de 23 mil plantões serão destinados pela Polícia Militar, que vai atuar na prevenção de crimes com reforços nos municípios que possuem o aumento de fluxo de visitantes, além de intensificação nas operações rotineiras nos bairros da capital e da RMS. A participação da Operação Ronda Maria da Penha é a novidade da PM para a operação este ano. Este também é o primeiro Verão com cobertura da lancha da 19ª CIPM (Paripe), recém-entregue à unidade operacional.

Entre os municípios e localidades do interior que receberão o incremento nas ações policiais estão Porto Seguro, Valença, Camamu, Ilha de Itaparica, Vera Cruz, Juazeiro, Bom Jesus da Lapa, Paulo Afonso, Rio de Contas, Morro de São Paulo e Barreiras.



Na Polícia Civil, além dos reforços nas Delegacia Territoriais onde há o aumento de demandas na estação, a instituição também atuará com ações específicas no período. São elas as operações Pista Limpa, realizada em conjunto com as polícias Federal, Rodoviária Federal, Militar – em conjunto com o BPRv e Técnica, as operações Mar Seguro, executada com o aumento da fiscalização na travessia via Ferry Boat,

Voo Legal, com foco no Aeroporto Internacional Luís Eduardo Magalhães e Correspondência Legal, nos Correios, em parceira com o DPT. Todas as ações visam a repressão à entrada de drogas no estado. Também haverá instalação de estruturas físicas da PC nas festas populares. No total, mais de 1100 servidores participam da operação. Foto: Reprodução

As imagens foram captadas por câmeras do circuito de segurança do Posto

Na última sexta-feira (1º), por volta das 19h, o Posto de Combustíveis Paraíso, no distrito de Novo Paraíso, município de Jacobina, foi assaltado por um meliante ainda não identificado, armado e com capuz na cabeça. No momento do assalto o frentista se dirigia para atender um cliente que acabava de chegar ao posto com sua família, o frentista foi surpreendido pela ação do indivíduo, que estava a pé e já chegou apontando a arma, na outra mão o mesmo segurava uma mochila. Ainda de acordo informações, não satisfeito o meliante chegou a ameaçar o frentista na busca por mais dinheiro. Tomando rumo ignorado após a ação.  Fonte: Paraíso Urgente

Uma organização criminosa responsável por ataques a banco, pistolagem (mortes encomendadas), tráfico de drogas, entre outros delitos foi desarticulada, nesta terça-feira (5), na cidade de Xique-Xique (distante 587 quilômetros), durante a 'Operação Serpente'. Três mandados de prisão e 14 de busca e apreensão foram cumpridos. Oito armas, carregadores e munições de diversos calibres acabaram apreendidos.

Guarnições da Companhia Independente de Policiamento Especializado (Cipe) Semiárido, Rondesp Chapada e 7º Batalhão da PM (Irecê), além de equipes da 14ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Coorpin/Irecê) e da Coordenação de Apoio Técnico à Investigação (Cati) do Departamento de Polícia do Interior (Depin) da PC participaram das ações.



Durante a operação, Adriano Cavalcante Ribeiro, mais conhecido como 'Sapinho', Hugo Ribeiro Porto e Rubem de Almeida Silva foram presos. Com possuíam mandados em aberto eles foram encaminhados para a Delegacia Territorial de Xique-Xique. Adriano Bonfim da Silva, o 'Sombra', que também possuía mandado de prisão reagiu à abordagem e foi atingido. Socorrido para o Hospital Julieta Vianna, acabou não resistindo.

Com o quarteto foram encontrados uma submetralhadora calibre 40, uma espingarda calibre 12, um rifle calibre 44, duas pistolas calibre 38 e 380, três revólveres, dois calibre 38 e um 32, além de munições, rádios transmissores e camisas camufladas.

“Demos uma grande demonstração de força e união das polícias Militar e Civil contra o crime organizado. Este grupo praticou diversos homicídios na região, além do tráfico de drogas e roubos a banco. As diligências continuam”, avisou o comandante da Cipe Semiárido, major Carlos Maltez. Fotos: Divulgação/SSP-BA

Ação envolveu as polícias Civil e Militar e resultou na apreensão de quatro motos com suspeita de adulteração e uma espingarda calibre 32

Dezoito pessoas foram capturadas, na manhã desta terça-feira (5), durante a operação 'Boi Branco', executada conjuntamente pelas polícias Civil e Militar nos municípios de Malhada e Carinhanha. Todos são acusados de furto de gado em Carinhanha, na região do Vale do São Francisco. Jocivaldo Ferreira dos Santos, o 'Joca', Euder Ribeiro da Silva, o 'Dinho', e Maurício Moraes Ribeiro, estes dois últimos envolvidos em assaltos a bancos no interior do estado, foram presos preventivamente.

A polícia, que também apreendeu quatro motos com suspeita de adulteração, uma espingarda calibre 32 e uma pequena quantidade de droga, cumpriu ainda mandados de prisão temporária contra Rafael Raimundo Ferreira de Macedo, o 'Dão de Cola', Sérgio Evangelista Sales, Lucas dos Santos Martins, José Cardoso da Silva, o 'Zezinho', Marcos Batista, Amós da Rocha Ribeiro, o 'Amós de Marcelo', Cleicimário Coelho Nascimento, o 'Cacá', Josafá Saraiva Primo, o 'Lu do Mercadinho Avistão', Neuraci Pereira dos Santos, Paulo César Gonçalves de Souza, o 'Cezinha', Agnaldo Silva Moreira, o 'Dal', Etelvir de Jesus Brito e Vitorino Amaral de Brito, o 'Zinho'.



Os criminosos integravam vários bandos investigados desde 2014, segundo revelou o coordenador da 22ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Guanambi), delegado Clécio Magalhães. “Eles estão ligados a mais de 30 ocorrências de furto de gado. Entravam nas propriedades rurais e levavam os animais, fato percebido, muitas vezes, somente dias depois”, explicou.

A 22ª Coorpin apura a participação de receptadores, dentre eles a de Francisco Pereira Barros, o 'Chico do Açougue', já preso. Ele adquiria os animais, os matava e revendia a carne. Além desta unidade policial, participaram da operação 'Boi Branco': a Delegacia Territorial de Carinhanha, a Rondesp, o 17º Batalhão de Polícia Militar (Guanambi) e a Companhia Independente de Policiamento Especializado (Sudoeste). Foto: Divulgação/SSP-BA

Metralhadora, espoletas para detonação de explosivos e farta munição foram apreendidos com cinco criminosos

Durante patrulhamento de rotina, guarnições da 81ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM/Itinga) desarticularam, no final da tarde de terça-feira (5), uma quadrilha de roubo a banco e tráfico de drogas. Com os cinco homens presos em flagrantes foram encontrados armas, equipamentos para uso de explosivos, um veículo adulterado, munições, entre outros materiais.

O quinteto passava pelo bairro Jardim Tropical, quando foram abordados pelas guarnições. No veículo modelo Doblô, com placa clonada, foram encontrados uma metralhadora calibre 9mm (uso restrito das Forças Armadas e Polícia Federal), uma caixa com espoletas para detonação de explosivos, um revólver calibre 38, farta munição de diversos calibres, máscaras e uma certa quantidade de crack e maconha.

Foram presos em flagrante Yan Freitas Silva, Rodrigo de Assis Gomes, Daniel Santos da Silva, Márcio Silva de Jesus e André Luiz da Conceição de Jesus. O flagrante foi registrado na 27 Delegacia Territorial (Itinga).

"Grande mostra de como são importantes as blitze e abordagens. Estamos nas ruas 24 horas e, sempre que for preciso, vamos parar os veículos e fazer a revista. A atenção dos militares de Itinga garantiu à população baiana menos roubos a bancos, tráfico e possivelmente mortes", declarou o comandante do Policiamento na Região Integrada de Segurança Pública (Risp) Região Metropolitana de Salvador, coronel Alfredo Nascimento. Foto: Divulgação/SSP-BA

As forças de segurança do Rio de Janeiro prenderam na manhã desta quarta-feira (6) na favela do Arará, zona portuária do Rio, um dos traficantes de drogas mais procurados no estado, Rogério Avelino de Souza, o Rogério 157, da favela da Rocinha, na zona sul. Há dois meses, ele provocou uma guerra na comunidade, depois de deixar a quadrilha de Antonio Francisco Bonfim Lopes, o Nem da Rocinha. Com essa atitude, Nem deu ordens de dentro de um presídio federal fora do Rio, onde está preso desde 2011, para que integrantes de sua quadrilha invadissem a Rocinha com o apoio de homens de outras comunidades, ligados à mesma facção criminosa, o que resultou em uma verdadeira guerra.

Depois de várias tentativas de ocupar a comunidade, o governador Luiz Fernando Pezão pediu apoio ao presidente Michel Temer que enviou tropas das Forças Armadas, do Exército, Marinha e Aeronáutica. Elas ocuparam a comunidade no dia 22 de setembro, logo após a ordem do governo federal para a atuação das Forças Armadas no Rio.

Rogério 157 foi preso na comunidade do Arará, onde estava escondido. A favela vive uma guerra pelo tráfico de drogas há mais de um mês. Recentemente, bandidos armados tentaram furar um bloqueio em frente ao Arsenal de Guerra do Exército, na zona portuária, e quatro deles acabaram mortos no confronto com os militares.

A barricada com mais de 100 homens do Exército foi montada no local para evitar que traficantes tentassem invadir o paiol de armas e munições do Exército. Em outra ação mais recente, homens do Batalhão de Choque da Polícia Militar mataram sete criminosos no Arará e apreenderam 14 fuzis. Rogério 157 foi levado para a Cidade da Polícia, no bairro do Jacaré, para ser apresentado pela Polícia Civil, que vai detalhar como chegou ao traficante. Agência Brasil - Foto: Reprodução

No início da madrugada desta terça-feira (5), houve uma colisão entre um veículo Uno e uma Van na BR 324, no contorno do distrito de Novo Paraíso em Jacobina. Segundo informações, o condutor da Van que pertence a Prefeitura de Jacobina conhecido como Fafá, seguia para Salvador, quando colidiu com o Uno que tentava ultrapassar um caminhão.



Ainda de acordo com informações, o condutor do Uno com sinais de embriaguez, juntamente com um carona foram socorridos feridos pelo Samu 192 com suspeita de fraturas para atendimento no Hospital Municipal de Jacobina. Já na Van, que transportava pacientes para Salvador, ninguém se feriu com gravidade. Augusto Urgente

Um homem foi preso suspeito de matar uma pessoa e ferir outra na Praça do Feijão, Centro do município de Irecê, no Centro-Norte da Bahia. O crime aconteceu na madrugada desta segunda-feira (4), por volta de 1h, e deixou os moradores assustados.

Em nota, a Polícia Militar informou que policiais do 7º Batalhão da Polícia Militar (BPM/Irecê) estavam registrando um flagrante na delegacia quando foram informados de que um homem armado e ferido tinha dado entrada no Hospital Regional de Irecê.

A equipe foi informada também do assassinato e da tentativa de homicídio. Ao chegarem ao hospital, os policiais militares encontraram um revólver calibre 22 no bolso do suspeito. Ele foi preso e apresentado na delegacia. A Polícia Militar não informou a motivação do crime nem o nome do suspeito. CB - Foto: Reprodução

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta terça-feira (5), em conjunto com o Ministério Público Federal e a Controladoria Geral da União, uma operação que tem como alvo o desvio de recursos públicos na área da educação, com mandados cumpridos em Jequié, Jaguaquara e Salvador. Ao todo, a Operação Melinoe abrange 46 ordens judiciais, sendo 23 mandados de condução coercitiva, 18 de busca e apreensão e 5 medidas cautelares.

A investigação começou em 2016, quando foi verificado que uma empresa contratada pela prefeitura de Jequié desviava recursos utilizando o suposto fornecimento de “terceirizados fantasmas” à Secretaria de Educação. Eles eram contratados por indicação de uma ex-vereadora. Entre os funcionários, estavam dois sobrinhos dessa vereadora que não residiam na cidade.

A apuração apontou também que a empresa pagou salário a ao menos 35 funcionários que nunca atuaram nas escolas para as quais foram designados em tese. Foi constatado que a empresa recebeu da prefeitura de Jequié R$ 63 milhões no período entre 2013 a 2017, sendo identificado R$ 7 milhões deste montante correspondente a recursos federais, especificamente de Precatórios do Fundef recebido pelo Município.

O prejuízo aos cofres públicos é estimado em R$ 1,5 milhão. Entre as medidas cautelares, está o afastamento das funções públicas dos investigados, bem como a proibição da empresa, ou seus sócios, de contratarem ou renovarem qualquer contrato com o Poder Público. Os envolvidos no esquema responderão pelos crimes de peculato, fraude à licitação, associação criminosa e falsidade ideológica. O nome da operação faz menção a deusa dos fantasmas na mitologia grega, Melinoe. Fonte: Bahia Notícias - Foto: Divulgação/PF

Dois veículos com placa do estado de São Paulo abandonados em uma estrada vicinal, no município de Ipupiara, chamaram a atenção de policiais da 29ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM/Seabra) e da Companhia Independente de Policiamento Especializada (Cipe) Chapada. Dentro de um deles, na manhã de domingo (3), as guarnições encontraram explosivos e acessórios usados por quadrilhas especializadas em roubo a banco.

Foram encontrados nos veículos modelos Corsa GSL, cor verde, placa BYN 6543, e Fiat Ideia, cor prata, placa CYX 6469, ambos roubados, quase três explosivos, 25 metros de cordão detonantes, estopim e detonadores.

De acordo com o comandante da 29ª CIPM, capitão PM Nelson Normando Júnior, o material deveria ser utilizado em ataques a bancos na região. “Estamos com policiamento noturno reforçado para prevenir qualquer ato criminoso no município”, garantiu. O material foi encaminhado para a Delegacia Territorial (DT/Seabra) que investigará a origem. Foto: Divulgação/SSP-BA

Drogas, seis espingardas, munição e um par de placas para colete balístico. Esse foi o resultado da operação realizada pela Companhia Independente de Policiamento Especializado (Chapada), neste domingo (3), na localidade de Lajedo Alto, entre Milagres e Iaçu. Além das apreensões, Cleidivaldo Santos Pereira, de 35 anos, o 'Tiquinho' foi preso com sete pinos de cocaína, 11 pedras de crack e 12 buchas de maconha.

De acordo com o comandante da Cipe/Chapada, major PM Ricardo Passos, a ação começou quando uma guarnição da unidade abordou Tiquinho em Lajedo Alto, encontrando drogas em seu poder. “Questionado, disse que elas pertenciam a um homem conhecido como 'Leno', que cumpre pena no presídio de Feira de Santana, e que ia entregar para outro traficante, de vulgo Carlinhos”, explicou Passos, que acrescentou ainda que Tiquinho confessara já ter passado algumas armas para Carlinhos guardar.

Ao chegar na residência de Carlinhos, os policiais encontraram seis espingardas, sendo uma calibre 12, oito munições calibre 12 e cinco 9 mm, um tubo de pólvora e um par de placas para colete balístico. Todo material apreendido, juntamente com Tiquinho, foi apresentado na Delegacia Territorial de Iaçu. Foto: Divulgação/SSP-BA

Artur Arlindo Barbosa Pacheco, o 'Arturzinho', foi preso e apresentado junto com o comparsa Mateus da Silva Oliveira, o 'Pirrita'

Artur Arlindo Barbosa Pacheco, "Arturzinho", 25 anos, "Oito de Espadas" do Baralho do Crime da Secretaria da Segurança Pública (SSP), e o comparsa Mateus da Silva Oliveira, 'Pirrita', 23, foram apresentados em coletiva à imprensa, na manhã desta segunda-feira (4), no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

Integrantes de uma quadrilha de traficantes responsável por homicídios no bairro de Ondina, Arturzinho e Pirrita estavam com mandados de prisão temporária em aberto pela morte do rival Rafael Santos Silva e tentativa de homicídio de Alan dos Santos Santana, no dia 1ª de outubro, no Alto de Ondina.

Eles praticaram os delitos, que tinham ligação com o tráfico de drogas, em companhia de Ycaro Caldas Fonseca, o 'Fantasmão', morto logo a seguir, em 5 de outubro, no Vale das Pedrinhas, depois de troca de tiros com policiais militares do Garra, unidade do Esquadrão Águia.



A dupla teve os mandados cumpridos na sexta-feira (1º), pela delegada Simone Moutinho, da 1ª Delegacia de Homicídios/Atlântico, ao se apresentar no DHPP acompanhada de advogado. “Não se trata de uma apresentação espontânea, pois cumprimos mandados de busca e apreensão na casa dos criminosos, no Alto de Ondina”, ressaltou a delegada.

Líder da quadrilha, Arturzinho está envolvido na morte do médico Marcos Spínola Ramos, durante o Carnaval de 2013, e num duplo homicido ocorrido em Itinga, Região Metropolitana de Salvador. Ele também já tinha sido apresentado no DHPP em 2015, ao lado de comparsas, após flagrado com uma submetralhadora 9 milímetros e cinco revólveres calibre 38. Foto: Divulgação/SSP-BA

A Procuradoria-Geral da República (PGR) denunciou nesta terça-feira (4) ao Supremo Tribunal Federal (STF) o ex-ministro Geddel Vieira Lima e o irmão dele, o deputado federal Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA), pelos crimes de lavagem de dinheiro e associação criminosa. A investigação está relacionada à apreensão, pela Polícia Federal (PF), dos R$ 51 milhões em um apartamento em Salvador.

Também foram denunciados pelos mesmos crimes a mãe de Geddel, Marluce Vieira Lima, e um ex-assessor do deputado, Job Brandão. Geddel foi preso no dia 8 de setembro, três dias depois que a PF encontrou o dinheiro no apartamento de um amigo do político. Os valores apreendidos foram depositados em conta judicial.

Segundo a Polícia Federal, parte do dinheiro seria resultante de um esquema de fraude na liberação de créditos da Caixa Econômica Federal no período entre 2011 e 2013, quando Geddel era vice-presidente de Pessoa Jurídica da instituição. EBC - Foto: Reprodução

O senador Fernando Collor poderá ter sua prisão preventiva decretada por falta de pagamento de pensão à ex-mulher, Rosane Malta. Ele deve depositar R$ 28 mil, por determinação judicial, até esta segunda-feira (4). No entanto, o valor da dívida com a ex-mulher já chega a R$ 1 milhão. O valor de R$ 28 mil é o valor fixado de pensão pela Justiça em 2005 que chega a 30 (trinta) salários mínimos por mês.

O pedido de prisão pode ser solicitado hoje, segunda-feira, de acordo com informações do Jornal Extra. “Tenho meus compromissos e já vou ter que arcar com os juros este mês”, reclamou Rosane ao jornal. Os problemas com pensão começaram logo após a separação do casal, há 12 anos. Ele pode ser obrigado a doar metade do salário à Rosane. Ou seja, R$ 33.763 brutos que Collor recebe mensalmente, R$ 16.881,50 seriam depositados na conta da ex.

“Ele me deve anos de pensão. Se não pagar mensalmente, vai preso. Eu estou pedindo os retroativos com todas as correções e juros”, completou Rosane. Ela ainda tem direito a carros e imóveis. Desde a separação, Rosane não recebeu nada da parte a qual tinha direito do patrimônio do ex-presidente. Foto: Reprodução

Um ladrão que ostentava fotos armado nas redes sociais foi localizado por unidades da 32ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM/Pojuca), no final da manhã deste sábado (2), na localidade conhecida como Cabloco, próximo ao Parque de Vaquejada, no município de Pojuca, Região Metropolitana de Salvador. Ele e seus comparsas dividiam o fruto do roubo a uma fazenda na região.

Jorge Mateus, conhecido como ‘Soldado’, e mais três comparsas invadiram a Fazenda Angolar, amarraram os proprietários e roubaram um aparelho multimídia, um roteador e um DVD, objetos já recuperados. A polícia chegou ao grupo quando este fazia a divisão dos bens. Na fuga, os criminosos atiraram contras os PMs e fugiram por um matagal, mas Soldado ferido foi abandonado pelos parceiros.

De acordo com o comandante da 32ª CIPM, major PM Carlos Eduardo Sampaio, o ladrão já foi reconhecido por participação em outros roubos. “Ele foi flagrado, em 2016, por imagens de vigilância durante o saque a uma churrascaria no município de Alagoinhas”, relatou o oficial. Segundo o PM, 'Soldado' também tem várias fotos circulando em redes sociais ostentando armas. Socorrido para o hospital Carlito Silva, no município, o ladrão não resistiu aos ferimentos. Com ele foram encontrados com revólver calibre 38, munições, uma espingarda calibre 12 e cartuchos. Foto: Divulgação/SSP-BA

Insatisfeito com uma nota, um estudante de 20 anos agrediu com socos e pontapés um professor de 37 anos dentro da sala de aula. As agressões foram filmadas por um aluno e o vídeo viralizou nas redes sociais. O caso ocorreu na última quarta-feira, por volta das 22h30, na escola estadual Antônio de Alcântara Machado, localizada na Vila Gumercindo, zona sul de São Paulo. O estudante cursa o 3º ano do ensino médio do EJA (Ensino de Jovens e Adultos). O professor ministra aulas de matemática.



No vídeo, que tem 26 segundos, observa-se claramente os dois discutindo. "Você não me chamou para a porrada?", o aluno pergunta várias vezes ao professor, que retruca, repetidas vezes: "Você falou que iria dar cadeirada". Em seguida, o estudante dá um soco no rosto do professor, emendando um chute na sequência. O aluno ainda tenta pegar uma cadeira para jogar no professor, mas é contido pelos outros colegas.

A Polícia Militar foi chamada e levou os envolvidos até o 16º DP (Vila Clementino). Foi elaborado um Termo Circunstanciado de lesão corporal e porte de drogas para consumo pessoal, pois o estudante levava consigo uma porção de maconha. A Secretaria Estadual da Educação, informou que o estudante foi suspenso das aulas e que o professor ganhou licença por uma semana. A pasta informou também que abriu uma averiguação para acompanhar o caso e que está prestando todo o apoio à vítima.*Informações da Folha - Foto: Reprodução

Abreu
Cafe beira rio