Cidadão do Povo
Mauricio Dias

A um ano das eleições, mais da metade dos votantes brasileiros ainda não fizeram o recadastramento biométrico. Segundo informações do portal G1, com dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), 80 milhões de pessoas ainda precisam fazer o recadastramento, o que corresponde a 56% do eleitorado. O TSE acredita que mais 10 milhões consigam registrar suas impressões digitais até 2018 – a expectativa é de que o processo seja finalizado somente em 2022.

A biometria será obrigatória em cerca de 2,8 mil cidades em todos os estados. O número final de municípios que exigirão impressões digitais será divulgado em maio do próximo ano. O 1º turno do pleito acontecerá no dia 7 de outubro. O processo de recadastramento tem sido mais lento em alguns estados, sendo que em três deles, menos de 25% do eleitorado já registrou suas digitais: Rio de Janeiro (com 11%), Minas Gerais (com 16%) e Mato Grosso do Sul (com 19%), totalizando aproximadamente 25 milhões de pessoas que ainda precisam passar pelo procedimento.

“Em algumas cidades é muito difícil que o cidadão vá até o cartório eleitoral. A descrença na política pode contribuir para as pessoas terem menos vontade de fazer esse trajeto”, avalia o cientista político Humberto Dantas, pesquisador da FGV e coordenador da pós-graduação em ciência política da FESPSP. Ele aponta que o uso da biometria dá mais segurança ao eleitor. “A biometria pode evitar que um mesário ou alguém na seção eleitoral use, no fim do dia, os números dos títulos de eleitores que ainda não tinham votado”. Foto: Divulgação/TSE

A Campanha Internacional para a Abolição das Armas Nucleares (Ican) ganhou nesta sexta-feira (6) o Nobel da Paz de 2017. A organização concedeu o prêmio ao grupo "por seu trabalho em voltar as atenções para as consequências humanitárias catastróficas de qualquer uso de armas nucleares e por seus esforços pioneiros para alcançar um pacto com base na proibição de tais armamentos".

O Ican é uma coalizão de grupos não governamentais presente em mais de 100 países. Apesar de ter surgido na Austrália, foi oficialmente fundado em Viena, em 2007. "Vivemos em um mundo onde o risco do uso de armas nucleares é maior do que vinha sendo há muito tempo", disse Berit Reiss-Andersen, líder do comitê norueguês do Nobel. A porta-voz do grupo, Beatrice Fihn, disse estar "encantada" com o prêmio.

No ano passado, o ganhador foi o presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, em razão dos seus esforços para estabelecer um acordo de paz entre o governo e as Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia). A liderança do grupo, no entanto não foi premiada, o que provocou surpresa entre os observadores do processo em Oslo. Para o Nobel, existia um risco concreto de que a guerra pudesse voltar ao país sul-americano. R7 - Foto: Reprodução/Reuters

A Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (4), novamente em votação simbólica, o Projeto de Lei 8703/17, de origem no Senado Federal, que cria um fundo público para financiar as campanhas eleitorais no Brasil. A matéria tramitava em regime de urgência na Casa.

Como foi aprovada antes do dia 7 de outubro, a proposta vai à sanção e pode valer para as eleições do ano que vem se não sofrer nenhuma alteração na Câmara. Em caso de modificação do texto, ele volta para a análise do Senado Federal. A matéria, de autoria do senador Ronaldo Caiado (DEM-GO), determina a criação de um fundo estimado em R$ 1,7 bilhão para bancar as campanhas. O valor será originado de 30% de emendas parlamentares de bancada.

O valor validado pelo Congresso Nacional será adicionado ao fundo partidário de R$ 867,5 milhões, recebido anualmente pelas siglas do País. O projeto aprovado também proíbe qualquer tipo de propaganda política paga na cadeia de rádio e televisão e estabelece que os recursos de compensação financeira destinada às emissoras sejam utilizados no financiamento dos candidatos. O horário eleitoral gratuito, no entanto, segue sem modificação nos meios de comunicação do País.

Favorável à proposta, a deputada Alice Portugal (PCdoB-BA), classificou a votação como um "momento crucial para a história". Ela afirma que a medida representa "um marco" sobre o modelo de financiamento das eleições. Os críticos ao projeto afirmaram durante a sessão que o uso das emendas para financiar campanhas vai retirar recursos das áreas de saúde e educação. O deputado Ivan Valente (PSOL-SP) classificou a proposta como "vergonhosa" e disse que ela foi articulada "em conluio no Senado Federal para atropelar todo o debate da Câmara dos Deputados" sobre as mudanças eleitorais. R7 - Foto: Reprodução

O promotor de Justiça Avelino Grota, do Ministério Público do Estado de São Paulo, usou o grupo MP/SP Livre para falar de pobres, negros, babás e feios. “Quanto ao pobre, coitado, nasce feio e morrerá feio porque não tem dinheiro nem para comer direito”, escreveu. Ele afirmou que suas mensagens são exclusivamente ‘ironias’ contra a decisão judicial que arquivou investigação sobre a exigência de clubes paulistanos para que as babás usem uniforme branco.

"E negro, como todos sabem, tem o péssimo costume de não dar muita atenção à higiene – tanto do corpo quanto da roupa.” Para Avelino, então, ‘o uso da roupa branca pelas babás é uma solução muito adequada’.

O promotor enumerou. “Em primeiro lugar, o branco é a cor da pureza, e, ao usar roupa branca, a babá, que é feia, se transforma, ficando um pouquinho menos feia – porque pureza não combina com feiura e, assim, passamos a dar mais atenção ao puro branco da roupa do que à feiura de quem a veste.”

“Em segundo lugar, roupa branca é a que suja com mais facilidade, e, desse modo, o patrão da babá verá mais nitidamente se a empregada está ou não limpa – e, se não estiver, ordenará imediata troca de roupa, precedida, é claro, de um banho, o que tornará a babá menos fedentina. Em terceiro lugar, roupa branca esquenta menos; portanto, a babá suará menos; por conseguinte, federá menos.”

Segundo a publicação, o procurador-geral de Justiça de São Paulo, Gianpaolo Smanio – chefe do Ministério Público paulista – mandou abrir um procedimento para investigar a fala do promotor. *Informações do Estadão

Em mais um capítulo da queda de braço entre o Senado e o STF (Supremo Tribunal Federal), senadores analisam a partir das 9h desta terça-feira (3) a decisão judicial que afastou Aécio Neves (PSDB-MG) do mandato parlamentar. Na votação, o plenário decidirá se a ordem deve ou não ser acatada pela Casa. A interpretação dos senadores valerá do ponto de vista institucional. Será a posição do Senado em relação ao afastamento de um dos membros por decisão da Justiça.

Porém, o advogado que defende Aécio, Alberto Toron, diz que caso a decisão do Supremo seja rejeitada pelos parlamentares, "a questão será saber se o senador pode voltar ao Senado ou não". "Do ponto de vista do Senado, como instituição, ele não está obrigado a acatar pura e simplesmente a decisão, que ele refuta ser inconstitucional. Do ponto de vista pessoal, ele [Aécio] irá acatar a decisão do Senado?", questiona.

Nesta segunda-feira (2), o ministro do STF Luiz Fux já deu a entender que a Corte não vai tolerar o descumprimento da ordem judicial. Desde que foi notificado sobre a decisão da Primeira Turma do STF, o senador se afastou das atividades parlamentares e permanece em casa no período noturno, segundo a defesa. Foto: Agência Brasil

Neste domingo (1º) foi realizada a Convenção Municipal do PSDB de Jacobina, que elegeu o empresário Fernando Vieira presidente do diretório tucano na “Cidade de Ouro”. Por aclamação, Fernando da Morel, como é mais conhecido, foi escolhido pelos filiados para comandar o PSDB local, que sempre teve papel de protagonista na política jacobinense, inclusive tendo administrado o município em duas oportunidades, com Carlito Daltro e Rui Macedo.

Hoje o PSDB conta com um representante no Legislativo Municipal, o vereador Juliano Cruz, que é o líder do partido na Câmara de Jacobina, e membro do Diretório local. Em entrevista à imprensa, Fernando da Morel afirmou estar muito feliz em ocupar o cargo e com o apoio recebido de vários companheiros e militantes do PSDB. “Faço um agradecimento especial a todos aqueles que desde o primeiro momento mantiveram a mesma posição e trabalharam pela unidade”, declarou.

“Junto com a direção estadual, trabalharemos para fortalecer o PSDB através do debate com as nossas bases, para termos um extrato do sentimento do povo jacobinense e baiano, do que a população espera do nosso partido, levando o partido para as comunidades”, destacou o presidente.

Na conversa com os jornalistas, Fernando da Morel também afirmou que pretende disputar uma vaga à Assembleia Legislativa da Bahia. Ele voltou a defender o nome do prefeito de Salvador, ACM Neto, como candidato ao governo do estado, e do deputado federal Jutahy Júnior, para o Senado.

A Convenção Municipal do PSDB de Jacobina foi prestigiada por dezenas de lideranças políticas, comunitárias e empresariais. O prefeito de Jacobina, Luciano da Locar, também esteve presente ao evento. Ascom/PSDB

Uma pesquisa feita pelo instituto Datafolha mostra que 54% dos brasileiros avaliam que os fatos revelados pela Lava Jato são suficientes para prender o ex-presidente Lula. O estudo divulgado nesta segunda-feira (2) pelo jornal Folha de S. Paulo também aponta, por outro lado, que 40% não veem motivos para a detenção do petista.

O ex-presidente foi condenado pelo juiz federal Sergio Moro a 9 anos e 6 meses de prisão por ter recebido um apartamento em Guarujá (SP) como parte de propina da construtora OAS. O levantamento também mostrou que o apoio à prisão do ex-presidente cresce conforme aumenta o grau de instrução (69% entre os que têm nível superior e 37% entre os com nível fundamental) e a renda familiar mensal (chega a 76% no grupo mais rico e a 42% no mais pobre) do entrevistado. Foto: Reprodução/Agência Brasil

Servidores da Secretaria da Fazenda paralisam as atividades por dois dias nesta semana em protesto por melhores condições de trabalho. Nesta segunda-feira (2) ficarão sem funcionar os postos fiscais da Sefaz nas regiões sul, sudoeste, extremo sul e oeste da Bahia. Já na terça (3), estarão paralisadas as atividadesnos postos SAC e de atendimento nas inspetorias fazendárias de Barreiras, Bom Jesus da Lapa, Brumado, Eunápolis, Guanambi, Ilhéus, Itabuna, Itamaraju, Itapetinga, Jequié, Luís Eduardo Magalhães, Porto Seguro, Santa Maria da Vitória, Teixeira de Freitas e Vitória da Conquista.

O ato será das 8h às 20h. Nas próximas, o protesto deverá se repetir nas região norte e metropolitana do estado até o dia da paralisação geral em 26 de outubro, com ato e assembleia no prédio-sede da Sefaz, no Centro Administrativo da Bahia (CAB). De acordo com a categoria, o clima na pasta é ruim, com desestímulo, sobrecarga de trabalho, falta de pessoal para desempenhar tarefas de fiscalização e internas, e a tecnologia é obsoleta. Há postos fiscais onde não funciona internet, carros das volantes estão parados por falta de manutenção e os alojamentos são de qualidade questionável. Além disso, os fazendários dizem que estão com salários congelados, perdas que ultrapassam 20% desde 2013.Foto: Divulgação

De acordo com informações da coluna Radar, da revista Veja, o juiz Sergio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba, teria confidenciado a um amigo que gostaria de deixar o comando das ações ligadas à Operação Lava Jato na primeira instância após o fim dos processos movidos contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Vale lembrar que Moro determinou a primeira condenação do petista em julho de 2016, porém avalia outras três ações contra o político. Lula é réu em ações na Operação Zelotes e na Operação Janus. Foto: José Cruz/Agência Brasil

Uma pesquisa do Instituto Datafolha foi divulgada neste sábado (30) pelo jornal "Folha de S.Paulo" com índices de intenção de voto para o primeiro turno da eleição presidencial de 2018. Veja os resultados dos oito cenários pesquisados:

Confira o resultado:

    Lula (PT): 36%
    Jair Bolsonaro (PSC): 16%
    Marina Silva (Rede): 14%
    João Doria (PSDB): 8%
    Alvaro Dias (Podemos): 4%
    Henrique Meirelles (PSD): 2%
    Chico Alencar (PSOL): 1%
    João Amoêdo (Novo): 1%
    Em branco/nulo/nenhum: 16%
    Não sabe: 2%

O Datafolha ouviu 2.772 pessoas em 194 cidades entre quarta (27) e quinta (28). A pesquisa tem margem de erro de dois pontos percentuais para mais ou para menos e índice de confiança de 95% - o que quer dizer que, se levarmos em conta a margem de erro, a probabilidade de o resultado retratar a realidade é de 95%. Na pesquisa anterior, em junho, Lula registrou 30%, Bolsonaro, 16%, e Marina, 15%. Foto: Reprodução

A relevância do esforço conjunto e integrado entre as instituições do Sistema de Justiça e das Policias Civil e Militar tem sido imprescindível na busca pela redução da criminalidade e violência na região de Irecê. Este foi um dos pontos destacados na manhã da última segunda-feira (25), durante reunião do Comitê Executivo do Programa Pacto pela Vida (PPV), realizada no município. O encontro, conduzido pelo governador Rui Costa,  aconteceu com a participação da procuradora-geral de Justiça Ediene Lousado; do secretário-geral Adjunto do MP, promotor de Justiça Artur Ferrari e dos promotores de Justiça que atuam na região Igor Clóvis Silva Miranda; Áviner Rocha Santos; Edna Márcia Souza Barreto de Oliveira; José Carlos Rosa de Freitas e Aílson de Almeida Marques, entre outras autoridades. O objetivo foi ouvir promotores de Justiça, juízes, defensores públicos e policiais sobre as demandas de segurança pública.



A chefe do Ministério Público estadual salientou que a instituição desenvolve suas ações na região de maneira efetivamente articulada com outros órgãos públicos, o que tem contribuído para a diminuição dos índices dos Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs), que envolve muitos adolescentes. Ela registrou ainda que o investimento em políticas públicas é fator predominante para evitar que os jovens sejam seduzidos pela criminalidade. "Os ajustes entre as instituições no tocante à melhoria dos serviços prestados é de grande relevância, mas de nada adiantará se não houver investimentos em educação, lazer, cultura e melhoria da qualidade de vida da população".

A atuação do MP na região foi apresentada pelo promotor de Justiça Igor Clóvis Miranda, que reforçou a importância de fortalecer os laços institucionais para enfrentar os desafios. “Aqui em Irecê temos implantado o Comitê Insterinstitucional de Segurança Pública na tentativa de integrar, ainda mais, o MP com os órgãos estaduais e municipais”. Entre outros aspectos, ele pontuou que vem sendo feitas tratativas para formalizar o plano municipal de Segurança Pública na localidade. “Sabemos que as atribuições do Município são limitadas, mas tem sua importante parcela de atuação, sobretudo no que tange à assistência e vulnerabilidade social e que, com certeza, têm consequências na Segurança Pública”.

O vice-presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), ministro Emmanoel Pereira, declarou hoje como abusiva a greve dos Correios, iniciada no dia 19 de setembro Segundo o ministro, a greve foi deflagrada com a negociação ainda não encerrada, o que determinou a abusividade do movimento paredista.

Neste caso, de acordo com o magistrado, cabe aos Correios adotar as providências que entender pertinentes, conforme sua conveniência, partindo da premissa de que para tais trabalhadores não há greve, mas simplesmente ausência ao trabalho.

Com a decisão, os empregados que aderiram à paralisação devem retornar aos seus postos de trabalho imediatamente. De acordo com os Correios, mais de 91 mil funcionários estão trabalhando normalmente, o que corresponde a 84,1% do total de empregados. Foto: Reprodução

O STF (Supremo Tribunal Federal) votou nesta quarta-feira (27) o modelo de ensino religioso nas escolas públicas do Brasil. Por 6 votos a 5, o STF julgou improcedente a ação em que a PGR (Procuradoria-Geral da República) pede para que disciplina seja de natureza não confessional, ou seja, os professores de ensino religioso em escola pública estão permitidos a promoverem suas crenças em sala de aula.

No julgamento, seis ministros entre os 11 integrantes da Corte votaram a favor da possibilidade do modelo confessional, em que os professores lecionam como representantes de uma religião, tendo liberdade para influenciar os alunos. Votaram nesse sentido: Alexandre de Moraes, Edson Fachin, Dias Toffoli, Ricardo Lewandowski, Gilmar Mendes e Cármen Lúcia. O relator Luís Roberto Barroso e os ministros Rosa Weber, Luiz Fux, Marco Aurélio e Celso de Mello votaram pela procedência da ação. Eles entendem que o ensino religioso não deve ser vinculado a uma religião específica. A ação da PGR foi proposta em 2010 pela então vice-procuradora Débora Duprat. Foto: Reprodução

Recibo entregue pelo ex-presidente Lula cita data de 31 de junho de 2014

Dos 26 recibos apresentados à Justiça Federal pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para comprovar o pagamento do aluguel de um apartamento vizinho ao imóvel em que mora o petista, dois têm datas que não existem: 31 de junho de 2014 e 31 de novembro de 2015. Os documentos foram protocolados na segunda-feira (25) pelos advogados de Lula na ação penal em que o ex-presidente é acusado de ter recebido propina paga pela Odebrecht na compra de um terreno que seria usado pelo Instituto Lula e de um apartamento em São Bernardo do Campo (SP).

Com os recibos, a defesa de Lula quer comprovar que o aluguel do imóvel foi uma relação contratual entre a família de Lula e Glaucos da Costa Marques, também réu na ação e sobrinho do empresário José Carlos Bumlai, amigo de Lula e preso na Operação Lava Jato. Para o Ministério Público Federal, Marques foi usado como laranja para acobertar propriedade do imóvel. O imóvel foi alugado ainda na presidência de Lula, por iniciativa do Gabinete de Segurança Institucional. Depois da presidência, Lula decidiu assumir o aluguel do imóvel. Xerocópia: Reprodução/Tribunal Regional Federal da 4ª Região

Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado

A Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu nesta terça-feira (26), por 3 votos a 2, afastar o senador Aécio Neves (PSDB-MG) do exercício de seu mandato, medida cautelar pedida pela Procuradoria-Geral da República (PGR) no inquérito em que o tucano foi denunciado por corrupção passiva e obstrução de Justiça, com base nas delações premiadas da empresa J&F.

Na mesma sessão, a Primeira Turma negou, por unanimidade, o terceiro pedido de prisão preventiva de Aécio feito pelo ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot, que deixou o cargo no último dia 17. Outras duas solicitações de prisão foram negadas por decisões monocráticas (individuais) no STF: uma do ministro Edson Fachin e outra do ministro Marco Aurélio Mello.

Votaram pelo afastamento os ministros Luís Roberto Barroso, Rosa Weber e Luiz Fux, ficando vencidos os ministros Alexandre de Moraes e Marco Aurélio Mello. Pelo mesmo placar, foi determinado que Aécio não pode se ausentar de casa à noite, deve entregar seu passaporte e não pode se comunicar com outros investigados no mesmo caso, entre eles sua irmã Andréa Neves.

Em seu voto, Fux afirmou que a atitude mais elogiosa a ser tomada por Aécio, desde o início, seria se licenciar do mandato para provar sua inocência. “Já que ele não teve esse gesto de grandeza, nós vamos auxiliá-lo a pedir uma licença para sair do Senado Federal, para que ele possa comprovar à sociedade a sua ausência de culpa”, disse.

A Denúncia

O ex-ministro Antonio Palocci (Fazenda no governo Lula e Casa Civil na gestão Dilma) pediu nesta terça-feira (26) sua desfiliação do PT (Partido dos Trabalhadores). A presidente do partido, senadora Gleisi Hoffmann (PR), confirmou a saída de Palocci.

Em carta encaminhada à presidente do partido, senadora Gleisi Hoffmann (PR), Palocci critica o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e defende que a sigla assine um acordo de leniência para revelar o que sabe a respeito da Operação Lava Jato.

Ao longo do texto, Palocci ataca Lula e questiona: "Até quando vamos acreditar na autoproclamação do 'homem mais honesto do País', enquanto os presentes, os sítios, os apartamentos e até o prédio do instituto são atribuídos a dona Marisa?"

A solicitação de Palocci para deixar o PT surge quatro dias após Palocci ser suspenso da sigla por 60 dias. O ex-ministro disse, em depoimento ao juiz federal Sérgio Moro, responsável pelas investigações da Lava Jato em primeira instância, que Lula tinha um "pacto de sangue" firmado com a empreiteira Odebrecht.

No documento em que pede sua exoneração da legenda, o ex-ministro cita que tomou conhecimento do processo disciplinar pela imprensa e justifica que decidiu colaborar com a Justiça “por acreditar ser este o caminho mais correto a seguir”. Ele afirma que "chegou a hora da verdade". R7 - Foto: Reprodução

Depois de muito impasse, o plenário do Senado aprovou nesta terça-feira (26) o texto-base de um projeto que cria um fundo para financiar campanhas eleitorais com dinheiro público. O texto agora será encaminhado à Câmara. Para ter validade para as eleições de 2018, é preciso ser sancionado pelo presidente da República até o dia 7 de outubro.

Pelo projeto, os recursos seriam provenientes da compensação fiscal que rádios e TVs recebiam para exibir programas partidários, extintos pela proposta aprovada. O fundo seria abastecido ainda por pelo menos 30% do valor previsto a emendas de bancadas estaduais para 2018.

Pela proposta de Lei Orçamentária de 2018, a previsão de emendas é de R$ 4,4 bilhões. Ou seja, ao menos R$ 1,32 bilhão desse montante pode ser aplicado ao fundo. O valor da renúncia fiscal é estimado em R$ 450 milhões. Não há consenso sobre o valor total do fundo. O senador Armando Monteiro (PTB-PE), relator do projeto, estima algo em torno de R$ 1,5 bilhão a R$ 1,7 bilhão. Ilustração/Reprodução/Revolta Brasil

O governador Rui Costa se reuniu nesta segunda-feira (25) com representantes da área de segurança e autoridades dos poderes Legislativo e Judiciário na cidade de Irecê, para debater a questão da segurança pública no estado. A ação integrou a caravana do programa Pacto Pela Vida, que ao chegou ao centro-norte da Bahia. “Temos o objetivo de buscar uma maior integração e conversar com quem está executando a segurança pública. A segurança pública é um sistema que envolve o Ministério Público, a Justiça, a Defensoria Pública e também a polícia, então, nada melhor que poder juntar todos para conversar sobre como melhorar a segurança na região, atuando em conjunto”, afirmou Rui.

Estiveram presentes o presidente da Assembleia Legislativa, o deputado  Ângelo Coronel; a presidente do Tribunal de Justiça, Maria do Socorro Barreto; e a procuradora-geral de Justiça da Bahia, Ediene Lousado; o defensor geral da Bahia Clériston Cavalcante, além dos secretários estaduais de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social, Carlos Martins; de Desenvolvimento Urbano, Jusmari Oliveira; e de Administração Penitenciária e Ressocialização, Nestor Duarte. Após a reunião, Rui inaugurou o Centro Integrado de Comunicações (Cicom), no 7º Batalhão da Polícia Militar.

O objetivo do Cicom é unificar as chamadas de emergência dos municípios da região por meio de uma central de atendimento para os serviços de emergência 190 (Polícia Militar) e 197 (Polícia Civil) e, posteriormente, 193 (Bombeiros). Segundo informações da Secretaria de Comunicação do governo, o novo centro, que contou com investimentos de R$ 1,5 milhão, possui tecnologia para absorver  ligações de 24 municípios da região, abrangendo uma área com mais de 500 mil habitantes. BN - Foto: Divulgação/Pedro Moraes/GOVBA

Os advogados de Lula apresentaram os recibos de locação do apartamento que o ex-presidente usava em São Bernardo do Campo para reuniões políticas. O imóvel é vizinho ao de Lula. O contrato foi feito entre o proprietário Glauco da Costamarques e Dona Marisa Letícia da Silva.

Os procuradores da Lava Jato desconfiam que o imóvel tenha sido um presente da Odebrecht para Lula como retribuição por benefícios dados à construtuora, mas o advogado Cristiano Zanin afirma que "os documentos hoje apresentados comprovam que o imóvel não pertence a Lula e que o valor do aluguel previsto no contrato foi pago. No seu último depoimento ao juiz Sérgio Moro, Lula não se lembrava onde estavam os recibos. Foto: Reprodução

Abreu
Cafe beira rio