Cidadão do Povo
Mauricio Dias

No início da tarde desta quarta-feira (6), a Prefeitura Municipal de Jacobina, através da Secretaria de Assistência Social assinou convênio com o Senai, com o objetivo de oferecer cursos, tendo como prioridade os beneficiários de Programas Sociais. Serão mais de 25 cursos disponíveis em Jacobina, para inscritos nos programas CRAS, CREAS, SUAS, Bolsa Família, Minha Casa, Minha Vida, Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos. Serão oferecidos os cursos de: pedreiro, carpinteiro de obras, eletricista instalador predial, encanador instalador predial, armador de ferragens, aplicador de revestimento cerâmico, iniciação de pedreiro, pintor de obras, panificação básica, produção de salgados e folheados, produção de sequilhos petit four, confeccionador de lingerie e moda praia, informática básica entre outros.



O prefeito Luciano Pinheiro e a Secretária de Assistência Social, Aline Pinheiro, estiveram falando sobre os programas sociais e a busca para dar mais oportunidades de trabalhos para os mais necessitados. O prefeito falou que os cursos serão oferecidos para pessoas que não têm condições de se qualificar para oportunidades de trabalho. Moradores da zona rural também serão beneficiadas, inclusive do Junco e Lages do Batata. Carlos Humberto, representante de relacionamento de mercado e José Sérgio, Coordenador do Senai de Jacobina, o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial, estiveram falando da importante parceira, que dará ao público uma maior oportunidade de emprego e renda. Foto: Divulgação/PMJ

Fonte: Revista Veja - Foto: Reprodução

Em depoimento ao juiz federal Sergio Moro nesta quarta-feira (6), o ex-ministro da Fazenda e da Casa Civil Antonio Palocci, preso pela Operação Lava Jato, incriminou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na ação penal em que o petista é suspeito de ter recebido propinas da Odebrecht por meio de um apartamento vizinho ao do ex-presidente, em São Bernardo do Campo, ABC paulista, e da compra de um imóvel que abrigaria a sede do Instituto Lula.

Detido em Curitiba desde setembro de 2016, Palocci reconheceu ao magistrado que a denúncia do Ministério Público Federal “procede”, disse ter participado das tratativas de vantagens indevidas e afirmou que a relação entre os governos petistas e a empreiteira era “bastante intensa, movida a vantagens dirigidas à empresa e propinas pagas pela Odebrecht para agentes públicos”.

Palocci citou um “pacto de sangue” entre o empresário Emílio Odebrecht e Lula, que teria envolvido um “pacote de propinas” ao petista no final de seu mandato no Palácio do Planalto, em 2010. “O doutor Emílio Odebrecht fez uma espécie de pacto de sangue com o ex-presidente Lula. Ele procurou o ex-presidente nos últimos dias de seu mandato e levou um pacote de propinas que envolvia esse terreno do instituto, que já estava comprado e o seu Emílio apresentou ao presidente, o sítio para uso da família do presidente, que já estava fazendo a reforma, fase final, ele disse que o sítio já estava pronto. E também disse ao presidente que ele tinha à disposição para fazer atividades políticas dele 300 milhões de reais”, contou o ex-ministro.

O ex-prefeito de Juazeiro Isaac Cavalcante de Carvalho é acusado pelo Ministério Público estadual por atos de improbidade administrativa em duas ações civis públicas ajuizadas hoje, dia 5, pela promotora de Justiça Daniela Baqueiro Alves. Segundo as acusações, o então gestor municipal teria utilizado, de forma ilegal, bens e servidores públicos durante campanha à reeleição no pleito de 2016, e gastado mais de R$ 2,6 milhões para promoção de festejos carnavalescos em janeiro de 2015, quando o Município ainda estava com situação de emergência decretada no final de 2014, devido aos graves efeitos de seca prolongada na região.

A promotora aponta que servidores gravaram depoimentos de “elogio à gestão” do então prefeito “dentro de prédios públicos e no horário de expediente”; que foram utilizados carros, motos e bicicletas da Guarda Civil Municipal, cujos agentes fardados participaram do vídeo manobrando os veículos; e que uma sala cirúrgica de acesso restrito foi transformada em estúdio de filmagem.

Quanto aos gastos com o Carnaval, a promotora se baseia em relatório do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) e mostra que, apesar da situação emergencial propiciar captação mais rápida de recursos, o Município não efetuou no exercício de 2015 nenhum gasto com a contração de carros-pipa, limitando-se a pagar cerca de R$ 124 mil pelo abastecimento de escolas municipais. Ainda segundo a promotora, em vez de aplicar recursos para amenizar os efeitos da seca, o então gestor preferiu gastar com a festa momesca, quando o Município possuía um débito superior a R$ 8,5 milhões junto ao Instituto de Previdência Municipal de Juazeiro. “Não possuía higidez financeira suficiente para realizar os festejos”, afirmou Daniela Baqueiro. Fonte: MP-BA - Foto: Reprodução

O Procurador Geral da República, Rodrigo Janot, denunciou nesta terça-feira (5) ao STF (Supremo Tribunal Federal) a ex-presidente Dilma Rousseff, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e os ex-ministros da Fazenda Guido Mantega e Antonio Palocci pelo crime de organização criminosa.

Também foram denunciados a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), o ex-ministro Paulo Bernardo, marido da parlamentar, e os ex-tesoureiros do PT João Vaccari e Edinho Silva. Na denúncia, Janot sustenta que os acusados formaram uma organização criminosa no Partido dos Trabalhadores para receber propina desviada da Petrobras durante as investigações da Operação Lava Jato. Foto: Reprodução

Os Estados Unidos e seus aliados europeus e japoneses anunciaram nesta segunda-feira que negociam outra série de sanções da ONU contra a Coreia do Norte, embora a posição de Pequim e Moscou, ambos com direito de veto, seja incerta. O oitavo pacote de medidas deve ser submetido a votação do Conselho de Segurança no dia 11 de setembro, segundo a embaixadora americana nas Nações Unidas, Nikki Haley.



É necessário que a ONU tome "as medidas mais fortes possíveis", declarou durante a sessão de emergência do corpo executivo da organização, no dia seguinte de um sexto teste nuclear norte-coreano. O clima é particularmente tenso, depois que Pyongyang desafiou resoluções da ONU ao realizar neste domingo um teste com uma bomba de hidrogênio de uma potência sem precedentes e, ao que tudo indica, se preparar para outro lançamento de míssil balístico.

A bomba é cinco vezes mais potente que a do teste anterior realizado pela Coreia do Norte e três vezes mais do que a lançada pelos Estados Unidos sobre Hiroshima em 1945, segundo dirigentes sul-coreanos. "Já é muito", disse Haley, que acusou o líder norte-coreano Kim Jong-Un de "suplicar por uma guerra".

"A guerra não é algo que os Estados Unidos queiram. Não a queremos agora, mas a paciência de nosso país não é ilimitada", advertiu. A chanceler alemã, Angela Merkel, e o presidente americano, Donald Trump, expressaram durante conversa telefônica nesta segunda-feira sua vontade de que a ONU adote novas sanções.

Ambos os dirigentes "compartilham a ideia de que a comunidade internacional deve aumentar a pressão sobre o regime norte-coreano e que o Conselho de Segurança da ONU deve adotar rapidamente novas sanções mais duras", afirmou o porta-voz da chancelaria, Steffen Seibert, em comunicado. "Não podemos perder mais tempo", disse o embaixador japonês Koro Bessho a jornalistas antes da reunião pedida por Estados Unidos, Grã Bretanha, França, Japão e Coreia do Sul.

O empresário Eike Batista revelou ter repassado R$ 1 milhão para Marcelo Crivella ficar de fora da disputa para a Prefeitura do Rio em 2012. De acordo com o empresário, o pedido foi feito pelo ex-governador Sérgio Cabral, um dos principais aliados de Eduardo Paes, então prefeito. Os detalhes do pagamento fazem parte da proposta de delação de Eike. A informação foi publicada pela "Veja" e confirmada pela Folha de S.Paulo.

No relato, Eike foi informado por Paes que o pagamento teria que ser feito via caixa dois para Crivella desistir de concorrer. Em 2012, o atual prefeito do Rio ensaiou lançar candidatura, mas recuou. Na ocasião, Paes foi reeleito, no primeiro turno, por 2,09 milhões de cariocas (64,6% do total de votos válidos).

Marcelo Freixo (PSOL) ficou em segundo lugar, com 28,15% dos votos. Rodrigo Maia recebeu 2,94% dos votos, Otavio Leite teve 2,47% e Aspásia Camargo, 1,27%. O advogado de Eike, Fernando Martins, informou que não se manifestará sobre notícias desconexas e seletivas publicadas supostamente com base em informações prestadas por Eike Batista.

Em uma rede social, Crivella chamou a notícia de "sem pé nem cabeça". Em um vídeo postado na rede, ele alega que não concorreu naquela eleição porque era ministro da Pesca e pediu para as pessoas não considerarem "essa bobagem, calúnia, infâmia". A defesa do ex-governador afirmou que a informação é falsa. Segundo o advogado, Cabral não participou, mesmo indiretamente, de qualquer negociação do tipo. Já Paes não se manifestou. Folha - Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Mais da metade dos municípios baianos possuem menos de 20 mil habitantes, apontou a nova estimativa da população do país divulgada pelo IBGE nesta quarta-feira (30). São 417 municípios baianos divididos em 27 Territórios de Identidade. Os dados, analisados pela Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), indicam que sete cidades possuem mais de 100 mil habitantes e concentram 41,1% da população baiana; 31 municípios contam com número entre 50 a 100 mil habitantes e representam 13,8% da população baiana; 129 cidades possuem população de 20 a 50 mil habitantes e concentram 5,2% dos baianos; já os restantes 240 municípios possuem menos de 20 mil habitantes, abrigando 19,9% da população baiana. A Bahia se manteve como o 4º estado mais populoso do país. O crescimento populacional de 2016 a 2017 foi de 0,44%, menor do que o crescimento entre 2015 e 2016 (0,48%). Foto: Reprodução

Musculação, pilates, spinning, ginástica funcional, artes marciais: as modalidades, comuns à maioria das academias de ginástica, também estão disponíveis em um espaço para lá de exclusivo, que funciona no segundo andar do prédio que abriga o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ), no Centro do Rio. Embora exista desde 2002, a academia, cuja manutenção custa cerca de R$ 4,8 milhões anuais, agora é alvo de denúncias de mau uso de dinheiro público.

Segundo o Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário do RJ (Sind Justiça), a academia, que é usada somente por juízes, desembargadores e seus dependentes, é mantida com recursos repassados pelo TJRJ, o que levou o sindicato a protocolar um pedido de investigação no Conselho Nacional de Justiça (CNJ). "Vamos pedir ao CNJ que investigue essa e outras evidências de mau uso de dinheiro público por parte do TJRJ. É sem dúvida a academia mais cara do mundo", afirmou Alzimar Andrade, diretor geral do Sind Justiça.



Um convênio de cooperação firmado entre o TJ e a Mútua dos Magistrados – entidade privada que tem por finalidade promover a saúde dos juízes e desembargadores – em 2014 diz, em sua terceira cláusula, que entre as obrigações do Tribunal está "repassar as verbas à Mútua para custeio dos profissionais especializados para a coordenação das atividades físicas e desportivas".

Em seu site, a Mútua informa que a academia é mantida pelas contribuições pagas por seus associados, mas outra cláusula do convênio 003/454, a sexta, deixa claro que as despesas com a academia sairão do orçamento do TJ. O dinheiro que sai dos cofres do TJ financia atividades físicas para poucos alunos, já que, segundo o próprio convênio entre a Corte e a Mútua, o número de frequentadores deveria aumentar a cada ano, partindo da média de 126 alunos que utilizavam o espaço em 2013.

A Chapecoense não fugiu ao protocolo. Após desembarcar nesta terça-feira (29) na capital italiana para o amistoso de sexta-feira (1º) contra a Roma, a delegação do clube catarinense foi ao Vaticano na manhã desta quarta ver o Papa Francisco. Com Alan Ruschel e Jakson Follmann à frente, a comitiva compareceu à Basílica de São Pedro para a audiência semanal do sumo pontífice. Por questões particulares, Neto foi o único dos jogadores sobreviventes da tragédia de Medellín a não viajar.

Ocupando posição privilegiada na praça em frente à basílica, os atletas, a comissão técnica e membros da diretoria assistiram ao evento sempre muito concorrido por milhares de fiéis vindos de todas as partes do mundo. Alguns familiares das vítimas também compareceram ao encontro com o Papa, que foi até onde estava a comitiva brasileira, conversou com os dois jogadores e tirou fotos com a delegação da Chape. Na sequência, eles tiveram uma visita guiada à basílica. Foto: Reprodução

A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu nesta terça-feira (29) rejeitar um recurso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que pedia que a Corte revisse a decisão de enviar à 13ª Vara Federal de Curitiba, do juiz Sérgio Moro, as citações a Lula em relação a um caso que apura supostas irregularidades na construção de sondas para extração do petróleo do pré-sal. A defesa de Lula afirmava que o caso não tinha relação com a Lava Jato e pedia o envio à Justiça Federal em São Paulo.

O caso faz parte do conjunto de informações apresentadas pelos delatores da Odebrecht - no caso, Marcio Faria da Silva, Rogério Santos de Araújo e o herdeiro do grupo, Marcelo Odebrecht. Delatores falaram que um consórcio formado por Odebrecht, OAS e UTC, após vencer uma licitação para o fornecimento de sondas, teria recebido solicitação de propina - no valor de 1% dos contratos firmados - de Pedro Barusco, ex-diretor da Petrobras e da Sete Brasil, criada para gerenciar a compra de sondas. O delator Rogério Santos de Araújo diz que Lula e o PT teriam pedido parte deste porcentual. Marcelo Odebrecht teria negado o pedido do PT afirmando que os valores solicitados pelo partido já estariam sendo contemplados no valor global acertado com o ex-ministro de Estado Antônio Palocci.

A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, decidiu nesta segunda-feira notificar o ministro Gilmar Mendes sobre o pedido de suspeição apresentado pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, contra ele nos casos envolvendo o empresário Jacob Barata Filho, conhecido como “Reis do Ônibus”, investigado em um desdobramento da Operação Lava Jato no Rio de Janeiro.

Entre os motivos apresentados, a Procuradoria-Geral da República cita que Gilmar foi padrinho de casamento da filha do empresário. “Os vínculos são atuais, ultrapassam a barreira dos laços superficiais de cordialidade e atingem a relação íntima de amizade”, afirmou Janot, no pedido de suspeição.

A PGR também destacou que o advogado Sérgio Bermudes, cujo escritório é integrado por Guiomar Mendes, mulher de Gilmar, representa e vem assinando “diversas petições postulando o desbloqueio de bens e valores nos autos dos processos cautelares de natureza penal relacionados à Operação Ponto Final“, desdobramento da Lava Jato que culminou na prisão de Barata, determinada duas vezes pelo juiz Marcelo Bretas – nas duas, Gilmar mandou soltar o empresário. Procurada, a assessoria do ministro Gilmar Mendes disse que ele vai se manifestar apenas nos autos.

Rejeição

Nenhum pedido de impedimento ou suspeição de ministros do STF levado à Corte foi atendido nos últimos dez anos. Todos os casos foram rejeitados pelo presidente do STF da época e não tiveram os méritos discutidos pelo colegiado. Entre 2007 e este ano, chegaram à Corte 80 arguições de impedimento ou suspeição. Fonte: Veja

Embora tenha anunciado a abertura de um Programa de Demissão Voluntária (PDV)com expectativa de adesão de cerca de 5 mil servidores, o governo federal contratou 7.089 servidores a mais do que desligou entre o final de janeiro e o final de julho deste ano, segundo dados do Ministério do Planejamento, que não vê incoerência em relação ao ajuste fiscal do governo (leia mais abaixo). De acordo com o Painel Estatístico de Pessoal (PEP), do Ministério do Planejamento, ao final de janeiro o governo contava com um total de 581.098 servidores. Ao final de julho, eram 588.187 - diferença, para mais, de 7.089.

Além da meta de corte com o PDV, o número de novos contratados também supera os 4.184 cargos comissionados que o governo diz ter cortado nos últimos meses, e que teriam gerado economia de R$ 202 milhões por ano. Por meio de sua assessoria de imprensa, o Ministério do Planejamento informou que não vê incoerência na contratação de novos servidores e na adoção de um PDV. G1

No agreste baiano a seca persiste e mesmo no inverno acontece a seca verde

Um quarto dos municípios brasileiros (23%) está em situação de emergência, segundo levantamento feito pelo jornal Folha de S. Paulo, com base em dados divulgados pelo Ministério da Integração Nacional. O balanço reúne 1.296 cidades, sendo que 71% estão concentrados na região Nordeste e no Norte de Minas Gerais, devido à estiagem. Os outros 29% estão em outro extremos, causadas por tempestades, inundações, alagamentos, enxurradas e deslizamentos, concentradas principalmente na região Sul, Sudeste e Norte.

No município de Luiz Eduardo Magalhães houve período de chuvas intensas

Há ainda cidades que estão sob decreto de emergência pelos dois motivos, como o município de Novo Triunfo, no nordeste baiano: a estiagem foi reconhecida pelo governo federal no dia 9 de março; no dia 27, ocorreu uma chuva forte que causou enxurradas no local. Duas capitais nordestinas integram a lista: Maceió (AL), com chuvas que resultaram na morte de 9 pessoas e em milhares de desabrigados. Em Fortaleza, a seca causou a falta de água que afetou 900 mil moradores. Brasília (DF) também passou por dificuldades e chegou a enfrentar racionamento entre fevereiro e agosto deste ano. Há ainda estados que registram situação de emergência em quase todo o seu território: é o caso da Paraíba, onde 196 dos 223 enfrentam a estiagem. BN - Fotos: Reproduções

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, apresentou hoje (25) denúncia contra quatro senadores do PMDB: Renan Calheiros (AL), Romero Jucá (RR), Garibaldi Alves Filho (RN) e Valdir Raupp (RO). No mesmo inquérito, também foram denunciados o ex-presidente José Sarney; o ex-presidente da Transpetro (subsidiária da Petrobras) Sergio Machado; o ex-presidente da empresa Odebrecht Ambiental Fernando Reis; e os executivos Luiz Fernando Maramaldo e Nelson Maramaldo, sócios da empresa NM Engenharia.

A denúncia é resultante das investigações sobre desvios em contratos da Transpetro. São apurados os crimes de corrupção e lavagem de dinheiro. O deputado federal Aníbal Gomes (PMDB-CE) também era alvo do mesmo inquérito, mas não foi denunciado.

O Ministério Público Federal (MPF) informou que a nova denúncia tem como base os acordos de delação premiada dos executivos Fernando Reis e Luiz Maramaldo, bem como a de Sergio Machado, além de outras provas colhidas ao longo das investigações.

Segundo Janot, entre os anos de 2008 e 2010, Renan, Jucá e Garibaldi Alves pediram com “vontade livre e consciente, comunhão de desígnios e divisão de tarefas” vantagens indevidas ao então presidente da Transpetro Sergio Machado, que então solicitou o pagamento de propina aos sócios da NM Engenharia, em troca de favorecer a empresa em contratos com a subsidiária da Petrobras.

Os pagamentos teriam sido feitos na forma de doações legais a diretórios estaduais do PMDB. De acordo com Janot, Raupp fez solicitação similar em 2012, com o objetivo de custear a campanha de Gabriel Chalita à prefeitura de São Paulo. Machado, então, recorreu ao executivo da Odebrecht Fernando Reis, escreveu Janot.

O Excelentíssimo Prefeito de Jacobina, Luciano Pinheiro, vem publicamente externar seu sentimento de Pesar em nome de toda comunidade jacobinense pelo trágico episódio ocorrido na manhã desta quinta-feira (24), envolvendo uma embarcação e seus passageiros durante a travessia, Mar Grande à Salvador, deixando um triste e doloroso saldo de vítimas fatais e outros tantos feridos. Fica, portanto, aqui registrado nosso mais profundo sentimento de consternação a todas as famílias enlutadas e todo povo baiano que sofre com esse lamentável episódio.

Jacobina, 24 de agosto de 2017.

Luciano Pinheiro
Prefeito

O Ministério Público Federal (MPF) pediu a prisão do deputado federal e ex-prefeito de Camaçari, Luiz Caetano (PT), por crimes previstos na lei que institui normas para licitações. Por ter foro privilegiado, o juiz federal Antônio Oswaldo Scarpa, da 17ª Vara Especializada Criminal, encaminhou os autos ao Supremo Tribunal Federal (STF). O MPF também pediu a condenação de Ivan Jorge Durão e Silvana Maria Gonçalves.

De acordo com denúncia, em 2006, Caetano teria direcionado a contratação da Fundação para o Desenvolvimento Sustentável (Fundese), órgão que fora comandado por Ivan Durão. O petista optou por uma inexigibilidade indevida de licitação, sem respaldo legal. A Fundação foi escolhida para executar o projeto de engenharia da Variante Ferroviária de Camaçari – Ligação Pólo Petroquímico-Porto de Aratu. A obra contou com recursos de R$ 2 milhões, provenientes de convênio entre a Prefeitura de Camaçari com o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) e com contrapartida municipal de R$ 105,2 mil. TB - Foto: Reprodução/TV do Servidor

Em maio deste ano, o Senado rejeitou um projeto de Lei da Câmara dos Deputados que tornava obrigatório o uso de coletes salva-vidas em embarcações abertas como a lancha que naufragou nesta quinta-feira (24) na Baía de Todos os Santos deixando ao menos 18 mortos. A regulamentação em vigor é de autoria da Marinha e aponta os coletes entre os itens de segurança obrigatórios desses equipamentos, mas não impõe que eles sejam usados pelos passageiros durante a navegação.

A proposta que tornaria o uso obrigatório foi rejeitada e arquivada quando tramitava na Comissão de Serviços de Infraestrutura do Senado. O autor do parecer que pediu a rejeição da matéria foi o senador baiano Otto Alencar (PSD), que já foi secretário de Infraestrutura da Bahia, pasta que tem a Agerba, entidade que fiscaliza a travessia marítima. Em entrevista ao site BBC Brasil, Alencar explicou que parlamentares da comissão consultaram a Marinha e entenderam que "já existia legislação nesse sentido".

"Vai da vontade de cada um usar ou não, você não pode obrigar", ponderou Otto Alencar. O senador ressalta que, depois do naufrágio na Baía de Todos os Santos, o debate em torno da proposta do PLC rejeitado pela Casa pode voltar, mas compara uma eventual lei que obrigue o uso dos coletes nessas embarcações com medidas que, em sua avaliação, muitas vezes não são obedecidas pelos brasileiros. "Tem lei para usar capacete, cinto de segurança, mas muita gente não usa. Aqui na Bahia muita gente anda de moto sem capacete, por exemplo", disse. Fonte: Bocão News - Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado

O plenário da Câmara do Deputados derrubou nesta quarta-feira (23), por 441 votos a 1, o dispositivo que destinava 0,5% da RCL (Receita Corrente Líquida) ao fundo público para campanhas eleitorais, previsto na PEC da reforma política. Em 2018, esse fundo seria de R$ 3,6 bilhões. A retirada do percentual ocorreu por meio da aprovação de um destaque proposto pelo PT.

O percentual de 0,5% da RCL constava do texto original do relator da PEC, deputado Vicente Candido (PT-SP). O Fundo Especial de Financiamento da Democracia, porém, ainda é um dos itens da PEC (Proposta de Emenda à Constituição) da reforma política. A Câmara precisa votar o restante do texto que cria o fundo. Segundo a ordem estabelecida, isso ocorrerá depois da votação do sistema eleitoral.

Câmara adia votação da reforma política para semana que vem

Após a votação, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, encerrou os trabalhos devido ao término da duração da sessão e convocou outra para análise da Medida Provisória 777/17, que extingue a TJLP (Taxa de Juros de Longo Prazo) e cria a TLP (Taxa de Longo Prazo) para financiamentos concedidos pelo BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social). Foto: Fotos Públicas

Na noite desta terça-feira (22), ocorreu uma sessão solene na Câmara de Vereadores de Jacobina, para comemorar o Dia do Maçom. Durante o evento foram entregues títulos de Cidadão Jacobinense para alguns membros do grupo que prestaram relevantes serviços à sociedade local. Estiveram prestigiando o evento representantes da Loja Maçônica Cavaleiros de Canabrava do Oriente de Miguel Calmon.

Foram agraciados durante a referida sessão solene com o Título de Cidadão Jacobinense, Aloísio Sales Queiroz, Adauto Silva Reis, Humberto Reis, Edelmy Cordeiro e Hugo Piauhy, todos membros regulares da Loja Maçônica Fraternidade Jacobinense.



O venerável Nicolau Moura Cunha, agradeceu aos vereadores e em especial ao presidente Noelson Oliveira pelo espaço dado para a Loja Maçônica Fraternidade Jacobinense, para falar sobre Maçonaria, sobre os objetivos da Ordem Maçônica, buscando desmistificar e esclarecer algumas dúvidas sobre sua atividade.

O encontro também serviu para discorrer sobre o comportamento do Maçom, os propósitos da entidade junto à sociedade, sobre a luta pela liberdade, a igualdade, a fraternidade, mostrando como a Maçonaria trata o ser humano, o cidadão.



"Foi uma noite festiva, para nós foi de grande relevância; quero parabenizar a todos os Maçons de todos os cantos da terra, a todos os irmãos que vieram participar desta sessão solene, onde comemoramos o Dia do Maçom" disse Nicolau. *Com informações e fotos: Augusto Urgente

O juiz Vallisney de Souza Oliveira, da 10ª Vara Federal em Brasília, aceitou nesta terça-feira (22) denúncia contra o ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB-BA) por obstrução de Justiça. Com isso, o peemedebista passa à condição de réu e responderá a ação penal por ter, supostamente, atuado para evitar a delação premiada do corretor Lúcio Funaro.

Funaro, que assinou sua colaboração nesta terça, é considerado um homem-bomba para políticos do PMDB por conhecer como poucos a engrenagem da organização criminosa que atuava em esquemas ilícitos na Caixa Econômica Federal. Na decisão, o magistrado justifica que a denúncia do Ministério Público Federal (MPF) contra o ex-ministro atende os requisitos do Código de Processo Penal, pois “descreve de modo claro e objetivo fatos delituosos imputados a Geddel”. Foto: Agência Brasil

Abreu
Cafe beira rio