Cidadão do Povo
Mauricio Dias

Uma advogada que enfartou nesta segunda-feira (28) no Fórum Regional do Imbuí, em Salvador faleceu às 16h40 no Hospital Português. A advogada estaria com suspeita de gravidez e era hipertensa. Na manhã desta segunda, Laíse de Freitas Santos Bispo teve uma convulsão. Informações ainda não confirmadas apontam que Laíse teria tido uma gravidez anterior de risco, desenvolvendo pré-eclâmpsia. O corpo dela foi encaminhada para o Instituto Médico Legal (IML).

O fato ocorre no mesmo dia em que uma Lei é sancionada buscando garantir as prerrogativas das advogadas grávidas e lactantes, que garantia a dispensa de passar em aparelhos de raio-X, a prioridade nas sustentações orais, e a suspensão dos prazos nos processos durante 30 dias – desde que haja notificação por escrito ao cliente, entre outras. A Ordem dos Advogados do Brasil – Seção Bahia (OAB-BA), em nota, lamentou, com profundo pesar, o falecimento da advogada Laíse de Freitas Santos Bispo. A Ordem, no comunicado, também se solidarizou com familiares, amigos e colegas enlutados. O enterro ocorrerá nesta terça-feira (29), às 16h30, no Cemitério Bosque da Paz. Laíse era esposa do DJ Raíz Seletor. BN - Foto: Reprodução/Facebook

Uma empresária de 30 anos morreu menos de dois dias depois de se submeter a duas cirurgias plásticas em Goiânia. Michelle de Souza Pires saiu do centro cirúrgico às 20h de sexta-feira (25) e recebeu alta médica às 13h do dia seguinte. A empresária morreu por volta das 5h deste domingo. De acordo com os familiares, que acusam a equipe médica de negligência, Michelle fez uma abdominoplastia e lipoaspiração.

“Nos exames que ela fez deu um pouco de anemia e o médico disse que não tinha problema. Ela sempre quis fazer e convenceu a mãe. Ela terminou a cirurgia na sexta umas 20h, e o médico liberou no sábado umas 13h. Ela foi liberada muito cedo, ela deveria ter ficado mais em acompanhamento já que fez a plástica”, disse um ex-cunhado da vítima.

Ainda segundo familiares, Michele reclamou de sentir falta de ar e de fadiga. A ex- sogra e a irmã dela tentaram socorrê-la. “Minha mãe e minha tia tentaram ligar para o médico, mas não conseguiram. Depois chamou o Samu [Serviço de Atendimento Móvel de Urgência]. A Michelle já estava indo a óbito, minha mãe fez massagem cardíaca uns 15 minutos até o Samu chegar. O Samu tentou reanimar, mas não conseguiu”, relatou o ex-cunhado.

O caso foi registrado na Central de Flagrantes da Polícia Civil. De acordo com o boletim de ocorrência, a causa da morte está a esclarecer. Michelle deixa dois filhos, sendo um de 10 e outro e de 4 anos. CB - Foto: Reprodução/Facebook

Faleceu na manhã desta segunda-feira (21), o servidor público Walmor Liberato de Moura, 58 anos, vítima de infarto, quando recebia atendimento na UPA 24h, em Jacobina. Sua morte foi constatada por volta das 5h45. Walmor chegou à Unidade de Pronto Atendimento acompanhado de familiares, após sentir fortes dores no peito e dificuldades na respiração. Segundo um familiar informou a nossa redação, Walmor sofria de hipertensão.

Walmor Liberato era reconhecido também pela sua contribuição ao esporte regional, tendo sido por algumas oportunidades presidente da Liga Desportiva Jacobinense, técnico de futebol, árbitro, e ultimamente atuava na crônica esportiva, tendo passagens como comentarista nas emissoras de rádio de Jacobina. Organizou vários torneios de futsal e campeonatos de xadrez, um dos seus passatempo predileto, além de apaixonado torcedor do Botafogo (RJ).

Como servidor público, Walmor Liberato atuou em diversas áreas da administração municipal, desde o setor de patrimônio, tributário e fiscal, ficando por quase uma década à disposição da 46ª Zona Eleitoral de Jacobina, onde realizou relevantes serviços ao Poder Judiciário como funcionário cedido pela prefeitura local. Ultimamente Walmor prestava serviços à Secretaria Municipal de Educação. Walmor Liberato deixa esposa e filhos. O seu corpo será velado a partir das 9h na Casa de Velório, anexo ao cemitério Jardim da Saudade.

Cidadão do Povo - Foto: Reprodução/Arquivo de Família

Classificada pelo ministro da Saúde, Ricardo Barros, como o pior problema de saúde que o Brasil deverá enfrentar no próximo verão, a chikungunya já mostra seu poder de disseminação antes mesmo da chegada da estação. Dados do Ministério da Saúde mostram que a doença já está presente em dois de cada cinco municípios brasileiros e, só neste ano, já provocou 138 mortes.

Se o verão de 2014/2015 foi marcado por uma epidemia recorde de dengue no País e o de 2015/2016 causou pânico pela descoberta da relação do vírus zika com a ocorrência de microcefalia, a estação de 2016/2017 deverá, segundo especialistas, registrar uma explosão de casos de chikungunya se a circulação do vírus seguir a mesma tendência observada neste ano.

O número de notificações da doença passou de 38,3 mil, em 2015, para 251 mil em 2016. No ano passado, 696 cidades brasileiras foram atingidas pela chikungunya. Em 2016, já são 2.281 municípios. Pelo menos sete Estados brasileiros já registram índices epidêmicos do problema - mais de 300 casos por 100 mil habitantes -, todos no Nordeste.

A Fundação de Hematologia e Hemoterapia da Bahia (HEMOBA) abriu esta semana as inscrições para o seu novo Processo Seletivo para contratação de profissionais de nível superior. Os interessados podem se inscrever até o dia 21 de novembro de 2016, mediante o preenchimento da ficha disponível no site. Não será cobrada taxa de participação.

Serão preenchidas vagas nas cidades de Feira de Santana, Guanambi e Teixeira de Freitas, especificamente nos cargos de Médico Clínico (1), Farmacêutico/Bioquímico (1), Assistente Social (1) e Enfermeiro (3). Com atuação em jornadas de 30h semanais, os novos contratados vão receber remunerações variáveis de R$ 2.704,95 a R$ 3.016,68. Os inscritos vão ser classificados por meio de Análise Curricular, onde serão atribuídos pontos aos títulos e experiências apresentadas pelo profissional. Foto: Amanda Oliveira/GOVBA

No Dia Mundial do Diabetes, lembrado hoje (14), a Federação Internacional do Diabetes faz um alerta: um em cada dois adultos com a doença não está diagnosticado e, portanto, não tem ciência de sua condição e não toma os devidos cuidados. O tema da campanha este ano é De olho no diabetes, com foco em promover a importância do rastreamento e garantir o diagnóstico precoce, o tratamento e a redução do risco de complicações mais sérias – sobretudo em casos de diabetes tipo 2.

Dados da entidade mostram que a doença segue crescendo em todo o mundo: ao todo, 415 milhões de adultos viviam com diabetes em 2015. A previsão é de que esse número chegue a 642 milhões em 2040 – uma proporção de um adulto diabético para cada dez adultos no planeta. “Muitas pessoas vivem com diabetes tipo 2 por muito tempo sem que tenham ciência de sua condição. Quando recebem o diagnóstico, as complicações provocadas pela doença podem já estar presentes”, destaca a federação.

Russell O’Grady não sabia exatamente o que esperar quando, aos 18 anos, começou a trabalhar como funcionário de limpeza de um McDonald’s na Austrália. Agora, ele acaba de comemorar três décadas de trabalho, merecidamente. Aos 48 anos, este homem mantém o ímpeto e a entrega do primeiro dia, quando se tornou funcionário da cadeia de fast food graças ao Jobsupport. Trata-se de uma iniciativa que promove o emprego de pessoas com deficiência na Austrália.

   
 
Russell trabalha três dias por semana na área de limpeza, algo que combina com uma de suas atividades preferidas no trabalho: dar as boas-vindas aos clientes. Graças ao seu carisma e à forma como lida com os clientes, ele ficou famoso na região. Para comemorar seus 30 anos de trabalho, a equipe de funcionários do McDonald’s organizou uma festa que incluiu um bolo para todos.  

Entre as pessoas que tiveram a oportunidade de dizer algumas palavras a Russell durante a festa estava seu pai, que agradeceu à organização que fez com que fosse possível contratar seu filho. “Sem esta iniciativa muita gente como Russell não teria emprego nem as recompensas que o trabalho oferece, como a sensação de orgulho e o aumento da autoestima. Isso lhes dá uma razão de ser,” assegurou o pai durante a comemoração, conforme informado pelo The Huffington Post.  Yahoo - Foto: Reprodução

Projeto de lei apresentado pelo deputado Alex da Piatã (PSD), presidente da Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa da Bahia, proíbe grávidas de comprar cigarro e bebida alcoólica. Segundo o parlamentar, o Ministério da Saúde aconselha que mulheres grávidas não consumam nada de bebida alcoólica e que não façam uso do cigarro, “pois o bebê é afetado diretamente dentro do útero através da corrente sanguínea e da placenta”. Alex da Piatã acha que “seria prudente aproveitar este momento para colocar um fim nos dois hábitos”. TB - Foto: Reprodução/Saúde Dicas

Dados do último boletim epidemiológico do Ministério da Saúde revelam que os casos de sífilis adquirida (em adultos) aumentaram 32,7% no Brasil no período de 2014 a 2015. Entre gestantes, o crescimento foi de 20,9%, enquanto as infecções por sífilis congênita (transmitida pela mãe ao bebê) subiram 19% no mesmo período.

“O que caracteriza uma epidemia é quando se tem um aumento no número de casos num determinado período de tempo. A sífilis não vinha num patamar de eliminação, mas seguia estável e, de repente, surgiu um maior número de casos”, disse a diretora do Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das DST, Aids e Hepatites Virais, Adele Benzaken.

Ela lembrou que a sífilis é uma doença de notificação compulsória – qualquer caso deve ser obrigatoriamente notificado. O que tem se observado nos últimos cinco anos, segundo Adele, é um crescimento do número de casos dessas três notificações, inclusive da congênita.

Sintomas

De acordo com a especialista, a sífilis no adulto tem sinais específicos, mas também há um período de latência considerável. O quadro sintomático inicia com uma ferida que, nos homens, é bem aparente, não dói e pode desaparecer num período de sete a dez dias. Nas mulheres, a ferida pode surgir na genitália interna e passar desapercebida. “A manifestação, nesses casos, fica em latência e o quadro se torna de sífilis terciária. Quando há evolução de mais de dez anos, a doença destrói tecidos como coração, cérebro e ossos”, explicou. EBC - Foto: Reprodução

Um vírus conhecido como Mayaro pode espalhar-se pelo continente americano nos próximos anos através de mosquitos como o Aedes aegypti, segundo investigadores da área da saúde, noticiou hoje a imprensa brasileira. Um mosquito também presente na Madeira. Nas últimas semanas, investigadores da Florida, nos Estados Unidos, identificaram o vírus Mayaro no Haiti, num menino de oito anos, com febre e dores abdominais.

Os investigadores concluíram, portanto, que este vírus pode estar a espalhar-se pelo continente. Segundo os especialistas, os microrganismos também lutam pela sobrevivência das suas respectivas espécies e procuram se adaptar das maneiras mais incríveis para não desaparecer. Este não é um vírus novo, pois já identificado pela primeira vez em 1954 e também existe na região Amazonica.

O grande problema é que este vírus possivelmente está a adaptar-se, pois antes era transmitido apenas por mosquitos-vetores silvestres e agora, aparentemente, pode ser transmitido por mosquitos-vetores urbanos que já estão espalhados pelo mundo, como o Aedes aegypti, principalmente, e o Aedes albopictus.

Se isso se confirmar, há muitas razões para o Brasil preocupar-se, uma vez que o Aedes aegypti está fortemente presente em todo o território brasileiro. Este vírus provoca uma doença semelhante ao Chikungunya (vírus transmitido pelo mosquito do género Aedes, que já chegou ao Brasil) e chama-se Febre do Mayaro.

O programa itinerante Saúde sem Fronteiras Rastreamento do Câncer de Mama prestará, a partir da segunda-feira (7) atendimento aos municípios de São José do Jacuípe e Várzea Nova, no centro norte baiano. O programa disponibilizará mamografias para mulheres na faixa etária de 50 a 69 anos. A meta é atender mais de mil mulheres, nos dois municípios, dentro da faixa etária preconizada pelo Ministério da Saúde.

Em São José do Jacuípe, a unidade itinerante estará estacionada na Travessa Ariel Vilaronga, no Centro de Saúde Sede 01, do dia 07 até o dia 11 de novembro. Já em Várzea Nova, a unidade ficará estacionada na Rua Antero da Rocha S/N, na Praça da Câmara de Vereadores, no período de 7 a 12 de novembro. Para serem atendidas as mulheres devem levar um documento de identidade, Cartão do SUS e comprovante de residência. O atendimento começa às 7 da manhã, prosseguindo até 18h.

O atendimento é feito em unidades móveis, tendo como diferencial o acompanhamento das mulheres com mamografias inconclusivas, com a oferta de exames complementares para o diagnóstico e o encaminhamento ao tratamento, visando à integralidade do atendimento. Para as mulheres com diagnóstico positivo, o tratamento cirúrgico, quimioterápico ou radioterápico será realizado em unidades de alta complexidade em oncologia na região de residência das pacientes. BN - Foto: Reprodução/Sesab

Em artigo publicado na revista veja desta semana, o médico infectologista David Uip, escreveu o seguinte: No próximo verão, o Brasil está prestes a viver uma epidemia de chikungunya. O calor e a chuva se configuram como o clima ideal para a proliferação do mosquito. Mas a questão vai além. O risco existe realmente, pelo comportamento da doença. O chikungunya é mais novo no país do que o zika e a dengue. Poucas pessoas foram infectadas até agora deixando uma população de susceptíveis exposta à doença. De outra forma, no primeiro semestre de 2016, foram diagnosticados 1,4 milhão de casos de dengue no Brasil com 3419 mortes.

Sintomas

Os principais sinais da doença são febre de inicio agudo, não muito alta, dor e inchaço de diversas articulações. Eles duram de dois a dez dias, podendo chegar a períodos mais prolongados. Mesmo com sintomas algumas vezes mais brandos em relação aos outros vírus transmitidos pelo Aedes aegypti e o risco de morte por chikungunya ser menor em comparação com a dengue, a possibilidade de a doença se tornar crônica em uma parcela dos pacientes é motivo de grande preocupação. A doença pode obrigar o paciente a procurar os serviços de saúde com muita frequência e por um longo tempo. Além disso, ela pode causar alterações mais graves, como cardíacas, renais, hepáticas e neurológicas. Veja

O câncer poderá matar 5,5 milhões de mulheres a cada ano no mundo até 2030, quase 60% a mais em relação a 2012, devido ao aumento e ao envelhecimento da população, de acordo com um relatório divulgado nesta terça-feira (1º). Segundo o relatório da Sociedade Americana do Câncer (ACS) divulgado no Congresso mundial do câncer, que acontece até quinta-feira em Paris, será essencial aumentar os esforços em educação e em prevenção para lutar contra esta epidemia que matou 3,5 milhões de mulheres em 2012. A maioria destes óbitos ocorreu em países em desenvolvimento.

"O peso do câncer aumenta nos países com rendas baixas e médias devido ao envelhecimento e ao crescimento da população", explicou Sally Cowal, vice-presidente sênior de saúde global da ACS, que compilou o relatório com a empresa farmacêutica Merck. Este aumento também é atribuído ao "aumento da frequência de fatores de risco de câncer conhecidos e ligados à transição econômica rápida, como a falta de atividade física, a má alimentação, a obesidade e fatores reprodutivos", por exemplo, ter o primeiro filho com uma idade avançada, o que aumenta os riscos de câncer de mama.

Roque Reis, 91 anos, faleceu na noite desta terça-feira (1º), no Hospital Municipal de Jacobina, de causa natural. Roque Reis foi vereador por três mandatos na Cidade do Ouro, tendo contribuído muito para o crescimento coletivo.

Enlutados os filhos Adalto, Orleide, Edelsio, Ana Cristina, Ivaneide e Humberto Reis, comunicam que o sepultamento será às 15h30 desta quarta (2), saindo féretro da Sala de Velórios para o Cemitério Jardim da Saudade. Augusto Urgente

A edição deste ano da campanha Novembro Azul vai ampliar sua abordagem, usando o mote “De novembro a novembro azul - movimento permanente pela saúde integral do homem”, a ação vai orientar sobre o câncer de próstata e também alertar os homens sobre a importância de cuidar da saúde.

Criada pelo Instituto Lado a Lado pela Vida, a campanha visa orientar a população masculina sobre o câncer de próstata. A doença figura como o segundo tipo de câncer mais comum entre homens, com mais de 13 mil mortes anuais, sendo uma morte a cada 40 minutos. Mais de 61 mil novos casos devem ser registrados no país em 2016, segundo o Instituto Nacional do Câncer.

A proposta do instituto este ano é, com a campanha já consolidada no Brasil, passar a alertar sobre os cuidados com a saúde integral do homem, mobilizando a população masculina para que se torne protagonista de sua história e responsável por sua própria qualidade de vida, em diferentes fases da vida.

São 25 anos sem sair de casa. Essa é a vida de Iman Ahmad Abdulati, a mulher mais obesa do mundo. Ela vive em Alexandria, no Egito, e simplesmente não consegue deixar sua cama. Iman chegou neste ano à impressionante marca de 502 quilos. Segundo os familiares, o problema com obesidade vem desde a infância e nunca pôde ser combatido pela egípcia, que sempre teve graves dificuldades de mobilidade.

Os familiares contam que o problema de Iman começou aos 11 anos. Ela, que já tinha nascido com cinco quilos, sofreu um derrame durante a infância e teve sua locomoção completamente comprometida. Por conta do derrame, Iman nunca conseguiu sair da cama. Foi engordando ano após ano e em pouco tempo já registrava obesidade mórbida. A doença fez com que ela nunca pudesse frequentar uma escola.

O caso ficou famoso em todo o mundo quando Chaymaa’, irmã de Iman, resolveu levar a história às autoridades. Para ela, apenas uma intervenção das entidades de saúde do Egito podem salvar a vida de sua irmã. O governo, no entanto, ainda não se pronunciou sobre o caso. Yahoo

Carlos Alberto Torres, capitão da seleção brasileira na conquista do tricampeonato mundial na Copa de 1970, no México, morreu nesta terça-feira (25), aos 72 anos, de infarto fulminante. O ex-jogador atuava como comentarista esportivo em programas do Sportv e morava no Rio de Janeiro, cidade na qual iniciou sua carreira no futebol na base do Fluminense.

Além do Fluminense, Carlos Alberto Torres defendeu outras importantes camisas do futebol brasileiro. Jogou por Botafogo, Flamengo, Santos e Cosmos, dos Estados Unidos, formando parceria com Pelé tanto na Vila Belmiro quanto no futebol norte-americano. O capitão foi cinco vezes campeão paulista com o Santos (1965/67/68/69/73), e voltou ao Fluminense em 1976 para fazer parte de um time que ficou conhecido como Máquina Tricolor. R7 - Foto: Gaspar Nobrega / Inovafoto Divulgação

O ministro da Saúde, Ricardo Barros, admitiu que o País vive uma epidemia de sífilis. "Os casos subiram em número significativo. Estamos tratando o problema como epidemia até para que resultados da redução sejam mais expressivos possíveis", disse o ministro, durante o anúncio de uma estratégia para combater a doença.

O pacto pretende mobilizar profissionais de saúde e a sociedade para tentar reduzir o avanço da doença. Entre as medidas que serão adotadas está a ampliação de testes rápidos para diagnóstico da sífilis e o tratamento da doença em gestantes, até o primeiro trimestre da gestação.

Números antecipados pelo jornal O Estado de São Paulo indicam que pelo menos 50% dos casos de sífilis em gestante são diagnosticados no terceiro trimestre de gestação, quando as chances de se proteger o bebê já são bem menores do que quando a terapia começa na primeira fase da gestação.

Um dos braços do programa de enfrentamento prevê a realização de campanhas para que gestantes iniciem o pré-natal ainda no primeiro trimestre. De acordo com a diretora do programa de DST, Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde, Adele Benzaken, há ainda uma falsa ideia de que as mulheres devem esperar a barriga crescer para procurar o pré-natal. Foto: Reprodução

O programa itinerante Saúde sem Fronteiras Rastreamento de Câncer de Mama fará atendimentos nesta segunda-feira (17) a moradoras dos municípios de Capim Grosso, Piritiba e Miguel Calmon. O foco é em mulheres de 50 a 69 anos e a meta da Secretaria da Saúde do Estado (Sesab) é de realizar mamografias em 4.595 pacientes.

Para ser atendida, é preciso levar um documento de identidade, cartão do SUS, e um comprovante de endereço. Cada cidade receberá uma unidade móvel: em Capim Grosso, os atendimentos serão na Praça IX de Maio (praça da Prefeitura), do dia 17 a 28; em Piritiba, na Praça Getúlio Vargas, onde está o Teatro Municipal, do dia 17 a 27; e em Miguel Calmon, na Praça Canabrava (Centro), do dia 17 a 29.

Mulheres que forem diagnosticadas com câncer de mama serão encaminhadas para tratamento cirúrgico, quimioterápico ou radioterápico nas unidades de alta complexidade localizadas na região onde reside a paciente. BN - Foto: Divulgação/Sesab

A partir de janeiro de 2017, a vacina contra o vírus HPV (Human papiloma virus) estará disponível para meninos de 12 a 13 anos no Sistema Único de Saúde (SUS). A informação foi divulgada na terça-feira, 11, pelo ministro da Saúde, Ricardo Barros.

A meta é que na Bahia 279.565 meninos sejam beneficiados, além de outros 743 jovens de 9 a 26 anos que vivem com HIV/Aids. Por meio de nota, o Ministério de Saúde comunicou que o objetivo é imunizar, até 2020, 80% do público-alvo da campanha (7,2 milhões de adolescentes).

De acordo com a infectologista e professora da Universidade Federal da Bahia (Ufba) Jacy Andrade, a vacinação masculina é de extrema importância no processo de diminuição da transmissão do vírus.

“Além de verrugas genitais, o HPV está associado à incidência de câncer de pênis, de laringe, de ânus e de cordas vocais nos meninos”, disse a médica. Para os portadores de HIV/Aids, pode ser ainda mais complicado. “Como o HIV reduz a imunidade, lesões mais agressivas podem aparecer”, diz.

O esquema vacinal para os jovens de 9 a 26 anos, portadores de HIV, compreende a aplicação de três doses (a inicial, outra dois meses depois e uma seis meses após a 1ª dose), sendo necessário prescrição médica. Para os não portadores, serão ministradas apenas duas doses da vacina, com intervalo de seis meses entre elas. A Tarde - Foto: SUS/HPV

Abreu
Cafe beira rio